<;center>

cruzeiro, enderson moreira

O técnico Enderson Moreira, apesar da eliminação do Cruzeiro no Campeonato Mineiro, chegou a duas vitórias consecutivas no comando da Raposa. Venceu a URT por 3 a 0 no último domingo e a Caldense por 1 a 0, nessa quarta-feira (30), em Poços de Caldas, no estádio Ronaldão, pela 11ª rodada do Estadual. 

Como precisava de um triunfo por três gols de diferença em cima da Veterana para se classificar às semifinais, Enderson analisou que essa missão não era impossível, mas a destacou como difícil. E elogiou os atletas pela entrega e disposição, chamando a atenção para o fato todo jogo apresenta "coisas boas e outras não tão boas". 

"Em todos os jogos você tem coisas boas e coisas que não são tão boas. A gente tinha uma missao difícil, possível, mas difícil. Tentamos, fizemos o máximo que podiamos fazer. Tem coisas que poderiam ter sido melhores, mas a disputa dos atletas, disposição, entrega foi digna de muitos elogios da minha parte", analisou.

Agora com a eliminação o treinador vai estudar com a comissão técnica e departamento de futebol a estratégia para a preparação visando à Série B do Campeonato Brasileiro. É que o time tem compromisso pela Taça Inconfidência, que colocará frente a frente a Raposa com o Patrocinense, neste domingo. 

Enderson Moreira decidirá qual time colocará em campo, se vai poupar jogadores, para ter mais tempo de treinamento visando a estreia na Segunda Divisão, no dia 8 de agosto, contra o Botafogo-SP, no Mineirão. 

"Como equipe a gente não está pronto, vamos caminhar melhorando durante a competição. Ninguém está pronto no Brasil, nenhuma há equipe que esteja jogando tudo o que pode jogar", disse.

Sobre o jogo com a Caldense o jogador relativizou. "Tem muita coisa boa, gostei, tivemos muita dificuldade com o gramado, mas isso faz parte, vamos enfrentar isso no Brasileiro. Teremos uma equipe bem competitiva e espero que no dia 8 possamos fazer nossa estreia com qualidadem um bom jogo", comentou. 

Time desorganizado?

O técnico do Cruzeiro discordou de análises que apontaram desorganização tática do Cruzeiro durante parte do jogo com a Caldense. "Eu, assim, me permita discordar, acho que tivemos padrão de organização muito bom até os 30 primeiros minutos do primeiro tempo. Depois disso, se perdeu um pouquinho, perde um pouco de padrão. Segundo tempo foi que a gente tentou jogar, como a outra equipe jogou muito atrás, espaços eram pequenos, mas a gente tentou", analisou