O retrospecto entre Atlético x Coritiba, adversários que se enfrentam no sábado (26), pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, deixa clara a hegemonia dos mineiros sobre os paranaenses. Contudo, apesar de ser favorito para o duelo que encerra a participação de alvinegros e alviverdes em 2020, o Galo precisa ter cuidado, pois o Coxa já estragou uma festa em BH.

Em 30 de novembro de 2014, os atleticanos lotaram o Independência para comemoração dupla: a primeira, celebrar o título da Copa do Brasil, conquistado sobre o Cruzeiro quatro dias antes, e para se despedir de Alexandre Kalil; o atual prefeito de Belo Horizonte (PSD), deixava ali a cadeira mais importante do clube.

Em campo, mesmo com a equipe titular, os comandados de Levir Culpi foram surpreendidos pelo Coritiba, que precisava de um empate para se manter na Série A. O time sulista venceu por 2 a 1 e "jogou água no chope" dos atleticanos. Desta vez, o time vem a BH também com a corda no pescoço. No Z-4 da competição mais importante do país, precisará de um novo triunfo para respirar e seguir na briga contra o temido rebaixamento.

O Galo, por sua vez, tenta chegar aos 49 pontos e seguir acreditando no título do Brasileirão, mesmo após ver o São Paulo abrir 7 pontos na ponta da tabela. Além disso, evitar com que a segunda posição seja perdida - isso pode acontecer ainda neste domingo (20), caso o Flamengo vença o Bahia -, de vez.

Retrospecto

Ao todo, Atlético e Coritiba fizeram 48 confrontos. Foram 29 vitórias mineiras, cinco empates e 14 triunfos dos curitibanos. Pelo Brasileiro, foram 40 jogos: o Galo venceu 23, o Coxa outros 12 e três jogos terminaram empatados.

Em Belo Horizonte, a hegemonia atleticana é enorme. São 19 vitórias, 2 empates e apenas três derrotas, em 24 jogos disputados.

Cabe lembrar que este será o último duelo de Sérgio Sette Câmara como presidene do Atlético. O mandato do advogado se encerra no dia 31.