O volante Adilson, que anunciou a precoce aposentadoria em julho, após descobrir um problema no coração, recebeu uma homenagem especial na tarde desta quinta-feira (21),  na Cidade do Galo. Na verdade, um símbolo que o imortaliza com a camisa do clube pelo qual realizou 99 jogos e marcou dois gols.

Fã do atual membro da comissão técnica do alvinegro, o artista plástico Willian Goulart desenvolveu uma pequena estátua de Adilson e, em contato com o ex-jogador por meio do Instagram, acabou convidado pelo homenageado para passar uma tarde no Centro de Treinamentos e entregar o presente.

"Resolvi fazer esta homenagem ao Adilson e fui muito bem recebido no CT do Atlético. Foi muito emocionante e espero que ele tenha gostado desta homenagem. Consegui o contato dele pelo Instagram e ele mesmo me fez o convite para entregar em mãos a escultura", conta o artista ao Hoje em Dia.
 

Cardiomiopatia Hipertrófica 

Após um exame realizado no meio desta temporada, Adilson foi diagnosticado com uma Cardiomiopatia Hipertrófica, a mesma que matou o zagueiro Serginho, do São Caetano, durante jogo contra o São Paulo, em 2004.

"Fizemos uma avaliação agora no meio do ano, na intertemporada, que caracterizou e identificou uma cardiomiopatia, uma doença cardíaca que o impede de seguir como atleta profissional de futebol. Isso foi estabelecido agora. A partir do momento em que se estabeleceu, nosso primeiro cuidado foi discutir com o médico pessoal do atleta e com uma terceira pessoa, um terceiro profissional, para ouvir a opinião, discutir sobre o diagnóstico e a conduta que deveria ser tomada. Houve uma unanimidade sobre a conduta, que decidiu por abreviar, do ponto de vista da continuidade, a carreira do Adilson como atleta de futebol", explicou o médico Haroldo Aleixo no dia do anúncio oficial da aposentadoria do gaúcho de Bom Princípio.