Em uma partida bem disputada nesta quarta-feira (2), na qual o Cruzeiro se superou, e o América lutou até o fim, o juiz Dewson Fernando Freitas da Silva foi quem ganhou os holofotes. De forma negativa. O árbitro fez lambança em lances que acabaram prejudicando o Coelho, tirou do sério atletas dos dois lados e, principalmente, provocou a ira do técnico alviverde Lisca.

Os principais motivos de tanto nervosismo e bronca se deram no primeiro tempo. Aos 3 minutos, Dewson deixou de dar um pênalti para o América, após toque de mão de Adriano. Nove minutos depois, ele assinalou uma penalidade para a Raposa, de forma equivocada, já que Messias não cometeu falta em cima de Pottker. Sóbis converteu e colocou os celestes em vantagem. 

A falha nos dois lances fez com que Lisca disparasse contra a arbitragem. Resultado: o treinador foi expulso. Ele ainda disse a um dos auxiliares: “Tu dorme depois?”. Na saída do intervalo, o técnico bateu palmas, em tom de ironia.

É de se salientar que, recentemente, o América também reclamou da arbitragem contra Ponte Preta, Cuiabá e Oeste.

Na segunda etapa, o Cruzeiro criticou a arbitragem em lances mais ríspidos dos jogadores do Coelho, além de pedir que fosse validado um gol de Arthur Caike. Para os celestes, a bola já teria ultrapassado a linha quando Cavichioli fez a defesa, mas na verdade, ela não entrou. Pouco tempo depois, a Raposa fez o segundo tento, com Manoel.

Anderson diminuiu para o América, em uma partida recheada de polêmica e uma péssima atuação da arbitragem.

Clássico