A seleção da Argentina já está em Belo Horizonte para o jogo contra o Brasil, que acontece nesta terça-feira (2), no estádio do Mineirão, pela semifinal da Copa América. A equipe desembarcou na capital mineira por volta das 15h30 deste domingo(30) e já se dirigiu à concentração, no bairro da Savassi, onde frustrou cerca de 300 pessoas que esperavam a chegada do ônibus e pouco puderam ter contato com a delegação.


A vinda da Argentina paralisou a região ao redor do hotel da equipe. Um forte esquema de segurança bloqueou as ruas. Os jogadores acessaram o local por uma entrada secundária, onde barreiras de policiais afastavam o veículo dos torcedores e curiosos. Crianças, adultos e idosos se aglomeraram nas grades vestidos com camisas da Atlético-MG, Cruzeiro, Barcelona e até de Argentina. Todos gritavam por Messi.

O ônibus encostou próximo à porta de acesso e todos os membros da delegação argentina desceram rapidamente. Depois de Messi, Agüero foi quem teve o nome mais gritado. Os jogadores e membros da comissão técnica deixaram o veículo e logo se encaminharam à área interna do estabelecimento, sem acenar ou ter algum contato com a torcida ao redor, apesar dos gritos e apelos por fotos e autógrafos.

O craque do Barcelona estava sentado no fundo do ônibus e foi um dos últimos a desembarcar. Ao contrário da maioria dos demais colegas, Messi não deixou a mala no bagageiro do veículo e caminhou com pressa rumo ao hotel ao lado de Dí Maria e Agüero. A Argentina treinou pela manhã no CT do Fluminense, no Rio de Janeiro, em atividade fechada à imprensa, e terá somente uma atividade em Belo Horizonte antes da partida desta terça-feira.

O treino da Argentina na capital mineira deve ser nesta segunda-feira no CT do Cruzeiro, a Toca da raposa II. O jogo contra o Brasil será nesta terça, às 21h30. Messi já esteve na cidade em outras ocasiões em compromissos contra a Argentina, como no empate por 1 a 1 contra o Paraguai nesta Copa América, na derrota por 3 a 0 para o Brasil pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, em 2016, além da vitória por 1 a 0 sobre o Irã, com gol dele, pelo Mundial de 2014.