A temporada 2020, esticada aos primeiros meses de 2021, foi frustrante para o Cruzeiro. Além de campanhas ruins no Campeonato Mineiro, em que não conseguiu alcançar as semifinais, e na Copa do Brasil, onde caiu para CRB, na terceira fase, a Raposa não conseguiu cumprir o principal objetivo traçado: voltar à elite do futebol brasileiro.

Entretanto, dentro de campo, apesar das várias contratações que se mostraram ineficientes nos últimos meses, dois experientes jogadores conseguiram destaque durante a Série B.

Com liderança e até mesmo com gols, Rafael Sóbis e Manoel assumiram o protagonismo do time celeste durante a disputa, evitando uma posição ainda pior que o 11º lugar obtido no encerramento da competição.

Chegada

Ambos os jogadores chegaram ao Cruzeiro já com a Série B em andamento. No caso de Manoel, foi um retorno à Toca da Raposa II, após empréstimos ao Corinthians e ao Trabzonspor.

Reintegrado ao elenco celeste em agosto do ano passado, o defensor inicialmente ficou como opção no banco de reservas. Com a oscilação da dupla titular, então formada por Cacá e Léo, o camisa 32 ganhou a posição de titular em definitivo, a partir da 11ª rodada.

Além das atuações seguras, Manoel passou a exercer uma liderança dentro do elenco, o que lhe rendeu a faixa de capitão. No ataque, o defensor também brilhou, marcando cinco gols em 27 jogos, sendo o vice-artilheiro da Raposa na temporada.

Valorizado pelo bom desempenho na Série B, e com vencimentos acima do teto de R$150 mil, estipulado pela cúpula estrelada, o zagueiro, que tem contrato até junho deste ano, ainda negocia sua permanência para a próxima temporada.

Em entrevistas recentes, o jogador se mostrou disposto a renegociar os termos do contrato para permanecer na Raposa.

Sóbis

Em novembro do ano passado, Rafael Sóbis acertou o início de sua segunda passagem pela Raposa. Com a contratação pedida pelo então técnico Felipão, Sóbis chegou para dar mais experiência ao time– característica pedida por Scolari -  e mais qualidade ao sistema ofensivo, ponto fraco do time celeste durante a temporada.

E o camisa 23 não decepcionou. Com boas atuações, foi o goleador máximo do Cruzeiro no ano, com seis gols em 16 jogos, um deles, inclusive, com uma finalização de antes do meio -campo, na goleada por 4 a 1 sobre o Brasil de Pelotas, pela 26ª rodada do Brasileiro.

Além das bolas na rede, Rafael Sóbis, escalado centralizado no ataque, deu mais mobilidade e recursos técnicos ao ataque da Raposa, que vinha sofrendo com a má fase dos centroavantes.

Com contrato até o final de 2021, está garantido no elenco para os próximos campeonatos, sendo considerado uma peça fundamental para o elenco que começa a ser formado pelo técnico Felipe Conceição.