“Fred, guerreiro, volta pro Cruzeiro”. Quantas vezes o atacante Fred não ouviu essas palavras da torcida celeste? Demorou 13 anos para esse sonho da China Azul se concretizar. E o retorno se deu em meio a muita polêmica, após o avante trocar o Atlético pela Raposa em 2018. Autor do gol que rendeu o empate em 1 a 1 com o Galo no Independência e o bicampeonato mineiro ao Cruzeiro, Fred desabafou durante a comemoração no Horto contra o presidente atleticano, Sérgio Sette Câmara.

“O Sette Câmara, presidente dos caras me mandou sair, né. Saí escorraçado (do Atlético). Mas aí eu ‘caí pra cima’. ‘Caí’ para o Cruzeiro. Sou muito agradecido aos torcedores do Cruzeiro. É meu terceiro título nessa minha volta”, declarou o camisa 9, artilheiro do Mineiro, com 12 gols, e tricampeão seguido do Estadual – ele faturou em 2017, pelo Atlético, e em 2018, pela Raposa.

 

 

Frieza de matador

O gol do título veio aos 34 minutos do segundo tempo, de pênalti, numa batalha “olhos nos olhos” com o goleiro Victor.

“Já treinei muito com o Victor na seleção, joguei com ele por dois anos e meio. Ali é um jogo mental, ele ficou sinalizando (o canto). Fiquei olhando para ele, consegui deslocá-lo. Feliz pelo título e pela artilharia. É uma volta por cima, com muita gratidão a Deus, família, torcedores e comissão técnica. E a galera (do DM) que ficou me aguentando por sete meses (risos)”, disse ele, referindo-se também ao tempo em que ficou sem atuar em 2018 por conta de lesões.