Um grito que veio das cadeiras do Mineirão, que pode prejudicar o Atlético nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira (26), a Procuradoria da Justiça Desportiva denunciou o clube pela ação de torcedores que cantaram música homofóbica com apoio ao candidato a presidência Jair Bolsonaro, durante o clássico contra o Cruzeiro, na 25ª rodada da competição mais importante do país.

Enquadrado em dois incisos do artigo 191 por descumprimento do estatuto do torcedor e do regulamento geral de competições, o clube mineiro será julgado nesta sexta, dia 28 de setembro, em sessão da Quinta Comissão Disciplinar. A sessão está agendada para às 13h30.

 Vídeos da partida mostram torcedores  entoando cânticos discriminatórios contra a torcida adversária. “Ô cruzeirense, toma cuidado, o Bolsonaro vai matar viado”.

No entendimento da Procuradoria o entendimento da Justiça Desportiva é de que “a torcida é parte indissociável dos clubes, sendo deste a responsabilidade pelas atitudes tipificáveis perpetradas por aquela”.

Nesse sentido, a Procuradoria denunciou o Atlético por descumprir o artigo 13-A do inciso V do Estatuto do Torcedor que proíbe os torcedores de entoar cânticos discriminatórios, racistas ou xenófobos; e o artigo 66 do RGC que veda conteúdo político.

O Atlético responderá no STJD ao artigo 191 do CBJD por deixar de cumprir ou dificultar o cumprimento de obrigação legal e o regulamento e corre risco de receber multa de até R$ 100 mil, por infração. Por considerar duas condutas tipificáveis e graves, a Procuradoria pede que as penas sejam somadas.