“Eu (não) acredito!”. Diferentemente do grito que imortalizou os títulos da Copa Libertadores de 2013 e a Copa do Brasil do ano passado, neste domingo (18), o berro do atleticano foi em tom de decepção e frustração com o time. Afobada e irreconhecível em campo, a equipe comandada pelo técnico Levir Culpi foi derrotada por 4 a 1 pelo Sport e viu as chances de levantar o caneco do Brasileirão reduzirem consideravelmente, já que o Corinthians goleou o Atlético-PR, em Curitiba, pelo mesmo placar, chegou aos 67 pontos e aumentou para oito a distância em relação aos mineiros.
 
“O que mais matou nosso time foi a expulsão. Aí ficou difícil. Ao invés de ficarmos lá atrás, esperando o Sport, fomos para o ataque e levamos mais”, comentou o volante Leandro Donizete. 
 
Atropelado pelo Leão, agora o Galo terá a semana inteira para cicatrizar os ferimentos e preparar-se para encarar a Macaca (Ponte Preta), domingo (25), no Independência.
 
Expulso, ainda no primeiro tempo, o atacante Carlos desfalcará o Atlético na 32ª rodada. Por outro lado, o atacante Luan, que cumpriu suspensão automática contra o Sport, e o armador Dátolo, recuperado de uma lesão na perna esquerda, estarão à disposição de Levir para o duelo.
 
O Jogo
 
Pressionado com a vitória do líder Corinthians contra o Atlético-PR, no jogo que começou às 16h, o Galo entrou em campo com a obrigação de voltar para Minas Gerais com os três pontos na bagagem, para continuar na cola dos paulistas  na briga pelo título. Porém, esta pressão parece ter desestabilizado o time mineiro, que, com 26 minutos de jogo, já perdia por 3 a 0.
 
Para piorar a situação do vice-líder, o atacante Carlos, que voltava de suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo, aos 18, após um carrinho infantil, recebeu o segundo no jogo e acabou expulso.
 
Com o domínio das ações e com um jogador a mais em campo, o Sport soube conduzir a partida e, com 33 minutos, já ouvia os gritos de “olé”, vindos das arquibancadas da Ilha.
 
Para coroar a partida impecável e o péssimo dia do adversário, o time pernambucano ainda marcou mais um e  selou a vitória aos nove minutos do segundo tempo, com o gol do atacante Maykon Leite, que havia acabado de entrar no jogo.
Para amenizar a dor dos atleticanos, o atacante Thiago Ribeiro, que entrou no lugar do argentino Lucas Pratto, de pênalti descontou para o alvinegro, aos 38 minutos. E foi só.
 
Ficha técnica:
 
Sport: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval (Ewerton Páscoa) e Renê; Wendel, Ronaldo (Matheus Galdezani), Diego Souza e Marlone; Élber (Maykon Leite) e Hernane; Técnico: Falcão
 
Atlético:  Victor; Marcos Rocha, Edcarlos, Jemerson e Douglas Santos (Josué); Leandro Donizete, Rafael Carioca, Giovanni Augusto (Cárdenas) e Patric; Lucas Pratto (Thiago Ribeiro) e Carlos; Técnico: Levir Culpi
 
Gols: Matheus Ferraz, aos 6 minutos do primeiro tempo para o Sport; Diego Souza, aos 22 minutos; Elber, aos 26; Maykon Leite aos 9 do segundo tempo; Thiago Ribeiro, aos 38 minutos para o Atlético.
Cartões amarelos: Carlos e Edcarlos (Atlético); 
Cartões vermelhos: Carlos (Atlético)
Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (GO/FIFA), auxiliado por Fabricio Vilarinho da Silva (GO/FIFA) e Bruno Raphael Pires (GO/ASP-FIFA)
Público e Renda: 15.459 / R$ 259.000, 00