A meta de alcançar a marca dos 100 mil sócios até dezembro de 2017, estabelecida pela diretoria do Atlético durante a gestão Daniel Nepomuceno, será cumprida com três meses de antecedência.

Adiantada pelo próprio presidente nesta segunda-feira (21) – em carta aberta aos conselheiros na qual trata da construção do Estádio do Galo –, a informação foi confirmada ao Hoje em Dia pelo diretor de Administração e Controle do clube, Lucas Couto.

Segundo o dirigente, a marca já foi atingida e será oficializada no site Movimento Por Um Futebol Melhor, no máximo, até o fim de setembro.

"Já estamos atualizando o levantamento, e apresentaremos o novo número ao Futebol Melhor o quanto antes. Já temos os 100 mil, só que nós não divulgamos ainda", argumentou Couto.

O diretor, contudo, preferiu não informar uma quantidade mais precisa de associados. "Estamos atualizando o levantamento. Já temos os 100 mil. Não divulgamos ainda, mas já batemos, sim (a meta)", reafirmou.

Nepomuceno

No comunicado enviado ao Conselho Deliberativo, o presidente do Atlético citou o crescimento do "Galo na Veia" como argumento para defender o projeto de construção do estádio.

"O Atlético está muito perto de se consolidar de vez entre os maiores (clubes) da América Latina e um dos grandes do mundo. Já batemos a marca dos 100 mil sócios-torcedores e com a nova Arena o Atlético tende a crescer e fidelizar muito mais a sua torcida", diz ele na carta.

Oficialmente, o Galo tem registrados 97.672 sócios no Movimento Por Um Futebol Melhor e ocupa a sétima colocação do "Torcedômetro", atrás de Corinthians, Palmeiras, Grêmio, São Paulo, Internacional e Flamengo.

Pelos números atuais, a marca de 100 mil não seria suficiente para o clube mineiro ultrapassar o Rubro-negro carioca.

Critérios

O Atlético havia alcançado os 50 mil associados em outubro de 2015. O aumento está diretamente relacionado à criação da categoria popular "Galo na Veia Branco" (R$ 13 por mês, sem direito a ingresso nem prioridade ou descontos na compra online), em setembro daquele ano.

O principal fator, no entanto, foi a inclusão, em 2017, dos cotistas dos clubes de lazer Labareda e Vila Olímpica ("Galo na Veia Clubes"), integrantes de torcidas organizadas ("Galo na Veia Torcidas") e dos próprios conselheiros ("Galo na Veia Gold") na contagem de sócios.