Em contagem regressiva para a disputa do Mundial de Clubes, no Marrocos, o Atlético complicou a situação do Fluminense, seu algoz no ano passado, no Brasileirão. Com o empate por 2 a 2, no Maracanã, o Galo se mantém em sexto lugar, com 56 pontos, enquanto o tricolor chega aos 43 e pode ser ultrapassado hoje por Coritiba e Vasco, caindo para o Z-4, faltando uma rodada.

Na avaliação de Diego Tardelli, destaque da partida, o empate foi um bom resultado, principalmente pela atuação fora de casa. “Sabemos da situação delicada do Fluminense, mas é importante chegar bem no Mundial”.

O Atlético estreia em Marrakesh no dia 18. Antes, o Galo faz sua despedida do Brasileirão contra o Vitória, domingo, no Independência. O lateral-direito Marcos Rocha e o volante Pierre, que deixaram o campo no primeiro tempo, por causa de lesões, não serão problemas para o jogo contra o Vitória, muito menos para o Mundial. O primeiro se chocou com o companheiro Victor e Pierre levou um chute de Digão no joelho esquerdo.

“O Marcos Rocha estava com uma dor intensa, achamos mais prudente substituí-lo. E o Pierre levou um chute forte no joelho. Mas não preocupam para a próxima partida”, diz o médico Marcus Vinícius.

Vida ou morte

Enquanto a partida servia mais como preparatório para o Mundial para o Galo, para o Tricolor era de “vida ou morte” no Brasileiro. Assim, o jogo foi disputado em alta velocidade e intensidade. Antes de a bola rolar, diante de mais de 44 mil torcedores, os 22 jogadores cruzaram os braços por um minutos em torno do meio de campo, em mais um ato do Bom Senso FC, movimento de atletas que reivindica melhorias no futebol do País.

Logo de início, o Fluminense mostrou uma disposição fora do comum. Deixava a técnica de lado e tentava ganhar todas as divididas com garra e alguma afobação. Por sua vez, o Atlético não afrouxava e também lutava como se ainda tivesse algum objetivo na competição. Os contra-ataques do time mineiro eram muito perigosos.

A equipe da casa fez um pacto durante a semana pela vitória. Na sexta-feira, a diretoria do clube quitou com atraso de um ano o que faltava da premiação pelo título brasileiro de 2012. Numa prova da entrega do time tricolor, o goleiro Diego Cavalieri atuou com sete pontos na mão esquerda.

O Atlético saiu na frente, com um gol de Diego Tardelli, após boa jogada de Fernandinho pela esquerda. A vantagem do adversário levou torcedores do Flu ao desespero. Depois, Wagner e Leandro Euzébio, em lances seguidos, quase empataram. Minutos depois, Gum aproveitou um bate-rebate na área e fez 1 a 1 ainda no primeiro tempo.

Sempre na base do entusiasmo, com o apoio da torcida, o Fluminense voltou do intervalo em ritmo forte. Seus atletas, já nervosos, faziam faltas ríspidas, com a complacência do árbitro Marcos da Penha. Num erro de Fernandinho, no meio, Wagner foi rápido e viu Biro Biro se deslocando. O atacante recebeu a bola e virou o placar para o Flu, encobrindo Victor.

O erro do Fluminense, após o gol, foi ter recuado demais. O Atlético passou a dominar a partida e deixou os torcedores cariocas preocupados. Poucos minutos depois de entrar na vaga de Michel, que já substituíra Marcos Rocha no primeiro tempo, o atacante Alecsandro deu o ar da graça e, de cabeça, empatou. A jogada começou numa falha de Digão. A partir do 2 a 2, o Flu se descontrolou e o Atlético quase agravou ainda mais a situação do Fluminense, quando, já nos acréscimos, Diego Tardelli chutou a bola no travessão.

FICHA TÉCNICA: FLUMINENSE 2 X 2 ATLÉTICO

FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Igor Julião, Gum, Leandro Euzébio e Digão; Valencia (Edinho), Jean, Rafinha (Marcelinho) e Wagner (Felipe); Biro Biro e Rafael Sóbis. Técnico - Dorival Júnior.

ATLÉTICO - Victor; Marcos Rocha (Michel) (Alecsandro), Leonardo Silva, Emerson e Lucas Cândido; Pierre (Rosinei), Leandro Donizete, Diego Tardelli e Luan; Fernandinho e Jô. Técnico - Cuca.

GOLS - Diego Tardelli, aos 21, e Gum, aos 37 minutos do primeiro tempo; Biro Biro, aos 9, e Alecsandro, aos 37 do segundo tempo.

ÁRBITRO - Marcos André Gomes da Penha (ES).

CARTÃO AMARELO - Leandro Euzébio, Digão, Luan, Leonardo Silva e Edinho.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio.