O líder do Campeonato Brasileiro mostra o caminho aos outros times: para se dar bem na competição, é essencial não perder pontos para os adversários de fora dos principais centros do futebol nacional. O Atlético, porém, vai na direção oposta, assombrado pelo “complexo de Robin Hood”.

O clube alvinegro conseguiu bom aproveitamento enfrentando os times grandes no Brasileirão. Contudo, falha justamente diante dos menores. Em sete jogos, ou seja, 21 pontos disputados, o Galo perdeu 12 para os “pequenos”, aproveitamento abaixo dos 50%. O Cruzeiro, seu maior rival, tem 90% e é o primeiro colocado da Série A.

O próximo desafio, tendo em vista o atual retrospecto alvinegro na competição, indica dificuldades para o Atlético: pegar o Figueirense fora de casa, no domingo próximo. Mas o diagnóstico para o problema já foi encontrado e divulgado pelo técnico Levir Culpi: motivação.

O treinador do Galo admitiu, em entrevista ao site Globoesporte.com, que encontrou um elenco com muito “oba-oba” e com dificuldades de concentrar forças para compromissos, teoricamente, menos importantes. Só mesmo uma Recopa ou um adversário tradicional consegue dar ar de competitividade aos jogadores dentro das quatro linhas.

“Fico mais inseguro quando o jogo é contra um time de menor expressão”, admitiu Levir.

Tropeços

O Atlético, que empatou com Criciúma e Bahia em casa, por exemplo, e deixou de assumir a quinta colocação há duas rodadas por desleixo diante da Chapecoense, na Arena Condá, é o quarto pior time grande quando enfrenta as equipes que não estão entre as 12 maiores do Brasil (Vasco entra no grupo, mas disputa a Série B).

Apenas Grêmio, Botafogo e Flamengo são piores. E os dois times do Rio de Janeiro estão na zona de rebaixamento.
Dos quatro primeiros colocados do Brasileirão, apenas o Corinthians não tem um saldo positivo diante dos “pequenos”.
Além da Raposa, que deixou de ganhar dois pontos contra o Criciúma, o Internacional (vice-líder) e o Fluminense (3º colocado) perderam apenas oito e quatro pontos para eles, respectivamente.