O confronto entre Atlético e Londrina, que irá decidir a Primeira Liga 2017, será apenas a quinta partida na história a reunir os times mineiro e paranaense. O confronto mais emblemático desta história curta aconteceu em 1978, pela semifinal do Brasileirão de 1977. Há quase 40 anos, o Galo vencia o Londrina para ir à decisão num duelo no qual Reinaldo virou recordista da competição.

No fim de fevereiro de 1978, Atlético e Londrina se enfrentavam em duas partidas. O Galo, invicto, despacharia a equipe celeste justamente no Estádio do Café, palco da final da Primeira Liga em 8 de outubro, num placar agregado de 6x4.

O primeiro jogo, diante de 96 mil torcedores, no Mineirão, Reinaldo fez três gols na vitória por 4x2 e alcançou a inédita marca, até então, de 28 gols numa edição de Campeonato Brasileiro. O recorde do Rei perdurou por 30 anos. Só foi superado por Edmundo (1997 - 29 gols), Dimba (2003 - 31 gols) e Washington (2004 - 34 gols).

O eterno camisa 9 do Galo, entretanto, segue tendo a melhor média de gols entre os máximos goleadores de cada Brasileirão. Afinal, foram 28 bolas nas redes em apenas 18 partidas. Reinaldo bem que poderia ter ultrapassado a marca dos 30 gols naquele Brasileiro. 

Ele foi julgado um dia antes da partida de volta contra o Londrina por ter agredido um adversário na vitória contra o Fast Club. Recebeu cartão vermelho e cumpriu a automática diante do Botafogo. Porém, foi julgado pelo Tribunal Desportivo entre a ida e a volta semifinal, recebendo suspensão que o deixou fora da partida no Estádio do Café e também na final contra o São Paulo (que também perdeu Serginho Chulapa, suspenso por um ano, por agressão a um bandeirinha).

Atlético perdeu Reinaldo por suspensão na volta da semifinal e final do Brasileirão 1977

Atlético perdeu Reinaldo por suspensão na volta da semifinal e final do Brasileirão 1977

TUBARÃO BRANCO

O Galo, mesmo sem Reinaldo, carimbou o passaporte para a decisão do Brasileirão com um empate em 2 a 2 em Londrina. O Rei foi substituído pelo atacante Caio Cambalhota (irmão do ídolo palmeirense César Maluco). O jogo que terminou empatado foi disputado em um 1º de março. Na outra semifinal, o São Paulo se classificava ao perder para o Operário-MS por 1 a 0, depois de vitória de 3x0 na ida. 

Se hoje o Londrina surge como uma força da Série B do Brasileirão, no último encontro contra o Atlético, a equipe fez uma campanha brilhante. Na última fase antes do mata-mata, o Londrina teve 100% de aproveitamento no seu grupo, que tinha os gigantes Flamengo, Santos, Corinthians e Vasco.

O Galo, que era o melhor time do país naquele momento, também se classificou como líder da sua chave, mas com dois pontos a menos que o Londrina (17x15), num grupo composto por Botafogo, Bahia, Cruzeiro, América-RN e Fast Club-AM.

SEM O ARTILHEIRO

Quatro dias depois do empate em 2x2 em Londrina, o Atlético perderia a final do Brasileirão para o São Paulo, na disputa de pênaltis após 0 a 0 no tempo normal. As duas equipes não conseguiram o efeito suspensivo e os artilheiros Reinaldo e Serginho não atuaram.

A partida diante do Londrina, no Mineirão, também marcou a última do camisa 9 do Atlético pelo clube mineiro em 1978. Após a derrota no Nacional, Reinaldo foi para a Seleção Brasileira que se preparava para a Copa do Mundo na Argentina. Os amistosos preparatórios da equipe de Cláudio Coutinho começaram em 12 de março, uma semana após a decisão do Mineirão.

Reinaldo precisaria se submeter a uma cirurgia no joelho depois do Mundial, sendo operado e tratado nos Estados Unidos. Só voltaria a jogar futebol em abril de 1979.