O Atlético deixará Buenos Aires na tarde desta quinta-feira (11) rumo a Belo Horizonte com a certeza de que a atuação diante do San Lorenzo poderia ser bem melhor, mas com a consciência que a derrota de 1 a 0 é totalmente plausível de reversão.

A Copa Sul-Americana, que volta ao calendário do Galo depois de seis anos, tem critérios definidos que podem impulsionar o alvinegro a buscar a classificação nos 90 minutos. Isso porque vencer apenas por 1 a 0 levará a decisão aos pênaltis.

Apenas na final da competição é que se aciona a prorrogação em caso de empate no placar agregado. Ao contrário da Copa do Brasil, o Atlético precisa se resguardar de maneira especial contra gols sofridos em casa, pois eles são critérios de desempate. Assim, se o Galo vencer por 2 a 1, estará eliminado.

Na Copa do Brasil, foi derrubado este critério de gols anotados pelos visitantes. Desta forma, caso perca de 5 a 1 diante do Ferroviário-CE, num placar que joga com o impossível, não passará de fase antes das penalidades.

A revanche do Galo diante dos Cuervos será no dia 8 de maio, uma terça-feira, às 21h45, no Estádio Independência. São seis fases na Sul-Americana, sendo duas antes das oitavas de final. A segunda fase será disputada apenas em agosto, já com a chegada de 10 times da Copa Libertadores.