No “Brasileirão dos mandantes”, o Atlético entra em campo diante do Vasco, neste domingo, com a obrigação de vencer. Mas o peso da responsabilidade diminui quando o fator Independência volta aos horizontes do time alvinegro.

No dia da partida, serão completos 25 dias longe do caldeirão do Horto, no qual o Galo foi derrotado apensa seis vezes ao longo de três temporadas. Prestes a chegar à centésima exibição no reformulado estádio, o time atleticano terá, por outro lado, cinco partidas como mandante nas próximas sete rodadas do campeonato – uma ótima oportunidade para tentar abrir vantagem na tabela de classificação.

Depois de pegar o cruzmaltino carioca, o time do técnico Levir Culpi visita o Avaí no meio da semana que vem. Depois, se prepara para o clássico contra o Cruzeiro, no qual celebrará a primeira centena de apresentações no estádio que transformou em novo lar desde maio de 2012.

Em seguida, será a vez de o Santos provar do veneno do Horto. Na sequência, o Galo visita o Flamengo no Maracanã antes de completar a série em casa, contra Joinville e Coritiba.

“Temos que fazer valer o mando de campo. Ainda mais em um campeonato no qual os times da casa estão ganhando. Poderíamos ter vencido o Atlético-PR na Arena da Baixada, mas infelizmente saímos derrotados. O principal é manter esse bom futebol que estamos apresentando, para sairmos com a vitória no próximo jogo, dentro da nossa casa”, argumenta o goleiro Victor.

A força dos mandantes neste Brasileirão é gritante. Nas três primeiras rodadas, apenas o Palmeiras foi derrotado diante da própria torcida. O Cruzeiro foi o único outro mandante a sofrer um revés, entretanto, o tropeço contra o Corinthians por 1 a 0 aconteceu na Arena Pantanal, em Cuiabá, devido a uma punição ao clube celeste.

Missão

Por falar em aproveitamento, um desafio para o Atlético no Independência é reforçar a eficiência do grito “caiu no Horto, tá morto”.

Apesar de continuar sendo um mandante impiedoso, no ano passado o time de Levir Culpi obteve o retrospecto menos positivo no novo Independência, com 73% dos pontos disputados diante da Massa.

Neste ano, foram duas derrotas: para o Atlas na Libertadores e para o América no Estadual (este último como visitante, mas com maioria da torcida). Até o momento, são 72,5% de aproveitamento no ano.

“Vamos precisar do torcedor, como sempre. E vamos tentar de tudo para conquistar a vitória. Nosso time é forte, e em casa temos que fazer valer o mando”, avalia o meia Dátolo, que anotou oito dos 11 gols já marcados com a camisa alvinegra no estádio.

“Em casa, tem que vencer sempre. Precisamos nos impor, jogar bonito e para a frente, como a nossa equipe joga. Temos que saber aproveitar melhor as oportunidades que criamos. Somos muito fortes em casa”, completa Luan.