Brasileiros, argentino, venezuelano, paraguaio, uruguaios, colombiano e equatoriano. Não temo como negar que a América do Sul está bem representada no Atlético. Pela primeira vez em sua história, o elenco alvinegro conta com jogadores de sete países. 

O último gringo que desembarcou na Cidade do Galo foi o argentino Franco Di Santo, de 30 anos. O atacante, que foi apresentado nesta terça-feira (6), tenta ter o mesmo sucesso do compatriota Lucas Pratto, que jogou no Atlético entre 2015 e 2017.

Além do argentino, a legião estrangeira no clube é composta pelo venezuelano Otero, pelo paraguaio Ramón Martínez, pelos uruguaios Lucas Hernández e David Terans, pelo colombiano Yimmi Chará e pelo equatoriano Cazares. 

Gringos reservas

Mesmo com tantos estrangeiros, apenas Cazares e Chará podem ser considerados titulares do Atlético. Lucas Hernández é reserva de Fábio Santos na lateral esquerda, Ramón Martinez é preterido por Jair e Elias entre os volantes, Otero briga por uma vaga no setor ofensivo e Terans tem ficado fora da lista de relacionados em vários jogos. 

O recém-chegado Di Santo ainda aprimora a parte física e só deve ter condições ideais de jogo em um mês. 

Limite de estrangeiros

De acordo com o regulamento da CBF, os clubes podem relacionar nas súmulas de cada partida até cinco jogadores estrangeiros nas competições nacionais. Com isso, dois gringos devem ficar fora da lista de relacionados dos jogos. 

O uruguaio Terans tem ficado ausente da maioria das relações. 
 

Lista dos gringos

Cazares - Equador
Lucas Hernandez e David Terans - Uruguaio
Otero - Venezuela
Ramón Martinez - Paraguai
Di Franco - Argentina