Jô não cansa de dizer: “É um ano especial para mim”. Afinal, o camisa 7 do Atlético é um dos candidatos ao posto de centroavante da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Presença constante nas convocações do técnico Felipão, ele sabe que qualquer vacilo pode acarretar no fim do seu sonho.

Por isso, a ordem é continuar atormentando os defensores adversários. No duelo de hoje, diante do Tombense, às 21h50, no Independência, pela terceira rodada do Campeonato Mineiro, além de seguir sua caminhada rumo ao Mundial no Brasil, o atacante espera manter o bom retrospecto no Gigante do Horto.

Desde que a arena foi reinaugurada, em abril de 2012, ninguém mais balançou as redes do estádio do que o centroavante do Galo, de 26 anos. Foram 23 gols. Os dois últimos na virada sobre o Nacional de Muriaé, por 2 a 1, no domingo passado.

“Aos poucos, vamos readquirindo a forma física, já que a técnica tem que ser durante as partidas”, comemora Jô. Ontem, junto com seus companheiros, ele recebeu a visita de 15 adolescentes do Núcleo Assistencial Caminhos para Jesus, que cuida de portadores de paralisia cerebral.

Desfalque

Diante do Tombense, o técnico Paulo Autuori não poderá contar novamente com o zagueiro Réver. O jogador está com uma inflamação no tornozelo esquerdo e é dúvida inclusive para a estreia do time na Copa Libertadores, no próximo dia 11, contra o Zamora, na Venezuela.

Sem o capitão, Jemerson e Leonardo Silva vão formar a zaga na partida de hoje. O restante da equipe será o mesmo que enfrentou o Nacional, no último domingo.