Jesus Dátolo é um dos homens de confiança do técnico Levir Culpi. Principal garçom da equipe no passado, o argentino, no entanto, não tem repetido as mesmas atuações na atual temporada. Quase nunca substituído pelo treinador, ele teve que passar por uma experiência inédita até em sua carreira do jogador: as vaias.

Visivelmente triste na entrevista coletiva que concedeu nesta quinta-feira (7), Dátolo admitiu que jogou mal contra o Internacional, mas se disse um jogador de mentalidade forte para superar as críticas.

"Senti muito ontem (quarta). Foi a primeira vez que fui vaiado na minha vida. Nunca pensei que a torcida do Atlético ia me vaiar. Sou um cara forte, que quer melhorar", disse o jogador.

O técnico alvinegro defendeu o armador da equipe, disse que ele cumpre um papel primordial para seu esquema e é ídolo da Massa. Dátolo vem atuando como principal articulador de jogadas do Atlético e, normalmente, Leandro Donizete é "sacrificado" quando Levir tenta mudar o jogo para o Galo.

"Ser questionando ou não, deixarei para o torcedor. Isso é normal. Ontem (quarta) não joguei bem. Não fiz uma grande partida", disse o meia-atacante.