Na apresentação de Carlinhos Neves para ocupar o recém-criado cargo de coordenador técnico, o diretor de futebol Eduardo Maluf abriu espaço para outros temas. O dirigente prefere falar sobre o planejamento da próxima temporada na semana que vem, quando o time estiver de férias. Entretanto, já adiantou uma situação. O atacante André, que jogou o Campeonato Brasileiro pelo Sport e voltará a ser aproveitado no Galo. 
 
Mesmo tendo sofrido problemas disciplinares no clube (mais um da carreira), o camisa 99 agradou a diretoria atleticana. São 13 gols em 28 jogos, uma média superior a Lucas Pratto. O jogador de 25 anos, maior contratação da história do clube, tem contrato com o Galo só até o final de junho.
 
"Nós temos interesse que ele volte. Acho que o André fez um Brasileirão espetacular. Todos jogadores nossos que saem emprestados e correspondem expectativas, trazem de volta e damos oportunidades. Exemplo disso é o Giovanni Augusto. O Patric, que siau e voltou. Não vejo diferente de ser com o André", avaliou o diretor.
 
Ao responder como foi o processo de contratação do técnico Diego Aguirre, o cartola informou que o ex-Colorado fez parte de uma lista que continha um nome ainda não revelado: Abel Braga.
 
Abelão já havia treinado o Atlético em quatro meses na temporada de 2001, coincidentemente, sendo sucedido por Levir Culpi. O processo inverso poderia acontecer agora. O campeão mundial pelo Inter em 2006 está no comando do Al-Jazira-EAU.
 
"Tínhamos outros nomes, não ficamos preso ao nome do Aguirre, conversamos com o Marcelo Bielsa, eu conversei com o Abel (Braga) que está fora do Braisl, dentro da necessidade do presidente. Quando sentamos juntos em Porto Alegre, domingo, trocamos opinião. Se tem diretor de futebol, ele precisa se ouvido, caso contrário nao precisa tê-lo. A responsabilidade da escolha é do presidente. Mas quem está no dia a dia, com comissão técnica e jogadores, ele tem muito a ajudar na decisão que o presidente ira tomar", afirmou Maluf.