O torcedor atleticano que lotou as arquibancadas do Independência nesta quinta-feira (26), comemorou mais uma vitória do Atlético do Campeonato Brasileiro, o sétimo triunfo seguido da equipe alvinegra. O Galo impôs melhor futebol que o Peixe e superou o Santos por 2 a 0, recuperando a liderança do Brasileirão com 31 pontos.

O primeiro gol atleticano foi anotado pelo meia-atacante Danilinho, que recebeu assistência precisa de Marcos Rocha e fuzilou a meta do goleiro Aranha. O tento alvinegro foi o de número 40 mil da história do Campeonato Brasileiro. O zagueiro Réver marcou o segundo aproveitando rebote do arqueiro santista. Com o revés, o Santos permanece com dez pontos e entra na zona de rebaixamento.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Atlético terá um duelo importante na parte de cima da tabela, enfrentando o Fluminense no Engenhão, em partida marcada para o próximo domingo. Já o Santos, vai receber a Ponte Preta na Vila Belmiro, também no domingo.

O jogo

O duelo entre mineiros e paulistas começou de forma equilibrada, com as duas equipes atuando de forma aberta em busca do gol. O Atlético iniciou a partida explorando as laterais, com Marcos Rocha e Júnior César apoiando bastante. Já o Peixe, apostou nas jogadas em velocidade e na marcação da saída de bola atleticana.

Aos 13, o Atlético chegou a balançar as redes com o avante Jô, mas o árbitro paranaense Antônio Denival de Morais seguiu orientação dos auxiliares e marcou impedimento na jogada, gerando reclamação dos atleticanos. Aos 16, Bernard recebeu bom lançamento, mas não conseguiu o domínio, perdendo boa chance de marcar.

Aos poucos a equipe da casa passou a ter maior volume de jogo e começou a agredir o Santos com maior intensidade, forçando o time de Muricy a recuar as linhas de marcação. Aos 26, o volante Serginho apareceu como elemento surpresa e quase surpreendeu o goleiro Aranha. Girando a bola com qualidade, o Atlético procurou encontrar espaços na defesa santista, o que garantiu ao Galo maior posse de bola durante todo o jogo.

A melhor chance dos visitantes no primeiro tempo só surgiu aos 36, com Bruno Rodrigo desviando cobrança de escanteio da direita e acertando o travessão do goleiro Victor, que não conseguiu fazer a defesa. O troco do Galo não demorou, e veio com Marcos Rocha recebendo assistência de Danilinho e carimbando a trave esquerda de Aranha.

Aos 43, o grito de gol que estava entalado na garganta do torcedor foi ouvido em alto e bom som no Independência. O lateral Marcos Rocha retribuiu o passe que havia recebido de Danilinho, deixando o companheiro livre, quase na marca do pênalti, Danilinho não perdoou e fuzilou a meta de Aranha para deixar o Atlético em vantagem.

Na volta para etapa complementar, o Atlético continuou com as rédeas do jogo, criando as melhores oportunidades para ampliar o marcador. Aos sete minutos, o Galo conseguiu boa trama ofensiva, mas na hora de concluir a jogada, Bernard errou o alvo, em mais um bom momento da equipe mineira no jogo.

Aos 14, Marcos Rocha fez jogada individual e mandou a bomba para o gol, no rebote da zaga, Bernard mandou para as redes, porém, auxiliar Roberto Braatz, marcou impedimento, gerando reclamação dos atleticanos. Com dificuldade na saída de bola, o Santos explorou os contra-ataques, levando perigo quando a equipe encaixava as jogadas.

Aos 19, a pressão atleticana surtiu efeito após uma roubada de bola de Marcos Rocha, que cruzou na medida para Leonardo Silva, que testou com violência para o gol, o goleiro Aranha deu rebote e o zagueiro Réver empurrou para as redes ampliando a vantagem.

Mesmo com o placar favorável, o Atlético não diminuiu o ritmo e quase chegou ao terceiro gol aos 33, com o avante Jô, que obrigou o arqueiro santista a fazer grande defesa. O atacante atleticano ainda teve mais oportunidades, porém, passou em branco na partida. Nos minutos finais, o Galo administrou o resultado para comemorar o sétimo triunfo seguido e liderança isolada do
Brasileiro com 31 pontos.