Um dos segredos do grande desempenho recente do Galo, que disputa a ponta do Brasileirão e obteve classificações empolgantes para as próximas fases da Sul-Americana e da Copa do Brasil - a última na quinta-feira, com virada de 2 a 1 sobre o Santos, no Pacaembu, em São Paulo - tem sido a união dos atletas em torno do técnico interino, Rodrigo Santana.

Prova disso foram declarações de Geuvânio, dadas após o triunfo sobre os santistas e pouco antes do último treino de preparação para voltar a enfrentar o Peixe, desta vez pelo campeonato de pontos corridos, neste domingo, na Vila Belmiro.

Formado nas categorias de base do alvinegro praiano, Geuvânio, que deve ficar na reserva na partida da Vila, explicou que, com Santana na liderança, o grupo de jogadores do Atlético tem procurado "trabalhar quietinho", sempre respeitando as decisões da comissão técnica.

"A gente está caminhando assim, com humildade", disse."E ele (Santana) está sendo coerente em suas decisões. Treinador tem que ser leal e correto: joga quem está melhor. Eu, por exemplo, não fico de 'biquinho'", completou. 

Para o atleta, a resignação e a obediência àquilo que o comandante determina são fundamentais para definir o atual momento da equipe. "Tenho que entender o momento melhor do meu companheiro. E o técnico tem que colocá-lo para jogar, mesmo. Chará e os meninos estão fazendo gols? Têm de atuar mesmo! Quando eles cansarem, coloca o Geuvânio", acrescentou, citando o atacante colombiano que vem fazendo boa parceria com Cazares e Luan.

No penúltimo confronto antes da parada para a Copa América, na Vila Belmiro, às 19h deste domingo, o Galo, com 15 pontos, quer repetir o feito do meio da semana, diante do mesmo adversário, e sair de São Paulo com mais três no bolso. O resultado pode representar a vice-liderança do Brasileirão - já que o Palmeiras venceu o Athlético Paranaense, neste sábado, por 1 a 0, e isolou-se na ponta.

O time fez o último treino antes do jogo na manhã deste sábado, no CT do Palmeiras, na Barrafunda. Rodrigo Santana, que pode deixar a interinidade e vir a ser confirmado como treinador do Galo, durante a parada da Copa América, foi recepcionado pelo comandante palmeirense, o experiente Luiz Felipe Scolari. Os dois bateram papo longe dos jornalistas.