O diretor de futebol do Atlético, Eduardo Maluf, afirmou que Robinho, ao menos por enquanto, fica no time. Em entrevista coletiva neste sábado (5), aproveitou para criticar o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, que fica assediando jogadores do Galo.

"O Robinho está bem no Atlético. Nós estamos felizes com o jogador. Vamos entrar num ano com cinco competições importantes, e vai entrar numa brincadeira do presidente do Santos? Se fosse sério, ele vinha aqui e fazia uma proposta. Ele está ludibriando o torcedor do Santos. E está deixando o torcedor do Atlético chateado. Mas o torcedor pode ficar tranquilo. Se chegar e pagar o que tem que pagar pelo Robinho, vai levar. Se não pagar, o Robinho está feliz, nós estamos felizes e vai ser um jogador da Libertadores desse ano", garantiu Maluf.

Além de Robinho, o diretor disse que também houve boatos de que o Santos estaria interessado em Cazares e Clayton, mas não há nada confirmado. Ainda criticando o presidente do Santos, Maluf disse que não há jogador que não possa ser negociado. "O presidente do Santos está brincando. Todo dia ele vai na imprensa e fala de um jogador do Atlético. Nós temos um elenco que ninguém é insubstituível. E que se chegar e nós entendermos que é um dinheiro que não podemos abrir mão, qualquer jogador sai. Não chegou proposta oficial por ninguém. O Palmeiras (a respsito do Lucas Pratto) está falando através da imprensa, mas oficialmente no Altético não chegou. Acredito que a janela abriu agora, e propostas vão surgir", afirmou.

Maluf assegurou, ainda, que vai buscar dois nomes para substituir os volantes Júnior Urso e Donizete, que deixaram o clube. "O torcedor pode ficar tranquilo. A coisa mais importante que nós fizemos foi manter o elenco que a gente tem. Sabemos das deficiências, o Roger sabe. E vamos buscar dois nomes", assegurou.

Maluf deu as declarações em entrevista coletiva realizada após o primerio treino do Galo nesta temporada, comandado por Roger Machado. Ao lado do novo treinador e do presidente Daniel Nepomuceno, Maluf revelou que está em tratamento contra um câncer no estômago há oito meses, mas que foi liberado pelo médico para voltar ao trabalho.