Os uruguaios do Atlético ainda não convenceram. Sem grandes atuações, Lucas Hernández e David Terans buscam espaço, até mesmo, para ficar na lista de relacionados para as partidas.  

Henrandez e Terans


Terans chegou ao clube em junho do ano passado com a fama de ser um meia fazedor de gols e com bom chute de fora da área. Mas o jogador não conseguiu repetir as boas atuações dos tempos de Danúbio, do Uruguai. 

Nesta temporada, o atleta de 25 anos esteve em campo apenas 11 vezes e marcou um gol. A última vez que atuou foi no dia 24 de agosto, quando entrou aos 27 minutos do segundo tempo na derrota por 1 a 0 para o Bahia, pela 16ª rodada do Brasileirão, no Independência. O último jogo como titular aconteceu no dia 24 de março, na vitória por 3 a 1 sobre o Tupynambás, no Mineirão, pelo Estadual.
 
Mesmo com desfalques no setor ofensivo, como Chará, machucado, e Otero servindo a seleção venezueluena, Terans não consegue se firmar, perdendo espaço, até mesmo, para os garotos Bruninho e Marquinhos. O meia tem contrato com o Galo até junho de 2023. 

Terceira opção

O compatriota Lucas Hernández também procura espaço. Mesmo contratado junto ao Penãrol, do Uruguai, com status para ameaçar a titularidade de Fábio Santos, o atleta de 27 anos ainda não conseguiu agradar. 

O jogador foi a primeira contratação de Rui Costa como diretor do clube. O Atlético desembolsou R$ 11,7 milhões para contar com o atleta que tem vínculo até 2022. 

De possível titular, Hernández virou terceira opção para a lateral esquerda. Na goleada sofrida para o Grêmio por 4 a 1, no Independência, quando Fábio Santos estava suspenso, Hernández foi preterido pelo jovem Hulk. 

O último jogo como titular aconteceu na derrota para o Avaí por 1 a 0, na Ressacada, no dia 23 de setembro. Com dificuldades na saída de bola e na marcação, o uruguaio foi alvo de críticas naquela partida.