O colombiano Wilmar Roldán vai comandar o confronto que definirá o campeão da Copa Libertadores, na noite desta quarta-feira (24), entre Atlético e Olimpia, no Mineirão. Esta é a segunda final seguida do torneio continental apitada por ele. Roldán será auxiliado pelos compatriotas Eduardo Ruíz e Humberto Clavijo.
No ano passado, o árbitro colombiano apitou a decisão que garantiu ao Corinthians o primeiro título da Libertadores. Os supersticiosos torcem para que o cenário se repita esta noite no Gigante da Pampulha. Assim como o Timão, em 2012, o Atlético busca o título inédito do torneio.
 
Aos 33 anos e pré-indicado da Colômbia para a Copa do Mundo de 2014, Roldán vem sendo chamado de “novo Oscar Ruíz”, por participar de jogos importantes, incluindo as Olimpíadas de Londres e as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014.
 
Pênaltis
 
Ele é um dos árbitros que mais trabalhou nesta edição da Libertadores. Também esteve envolvido em polêmicas em partidas de times brasileiros.
 
No confronto entre São Paulo e Arsenal (Argentina), pela fase de grupos da Libertadores, Roldán marcou um pênalti discutível a favor dos são-paulinos, após bola na mão de Cortez, mas deixou de marcar duas penalidades para o Tricolor. Com o jogo encerrado, expulsou Luis Fabiano por reclamação.
 
No confronto entre Emelec e Fluminense, no Equador, pelas oitavas de final, o colombiano não deu pênalti de Carlinhos em lance parecido ao do são-paulino Cortez.
 
Aos 41 do segundo tempo, o árbitro marcou um pênalti inexistente do lateral em um atacante equatoriano. Gaibor fez o gol e selou a derrota do Fluminense, por 2 a 1. A vaga dos cariocas foi confirmada após vitória no jogo de volta no Rio de Janeiro.
 
O jogo que marcou a reinauguração oficial do estádio Maracanã, entre Brasil e Inglaterra, também foi apitado pelo árbitro colombiano.