Neste momento, Jonathan Calleri está em reunião. Ao lado da família e de seus representantes, o atacante argentino definirá as cores que defenderá nos próximos seis meses. O Borussia Dortmund fez os olhos do staff de Calleri se arregalarem. Mas, por conta dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Jony prefere vir ao Brasil, onde tem mais chances de ser titular. Atlético e São Paulo: um dos dois ficará com o camisa 27.

Com 22 anos, o ex-jogador do Boca é cotado para formar o ataque da Seleção Olímpica da Argentina, a ser comadada pelo técnico do time principal, Tata Martino. Para tanto, ele precisa jogar neste primeiro semestre. No Boca Juniors, por exemplo, teria de vencer Pablo Osvaldo, que retornou ao clube, para ser titular. No Galo, necessitaria do recuo de Lucas Pratto. No São Paulo, teria mais facilidade, até porque o técnico Edgardo Bauza, respeitadíssimo na Argentina, garante a ele a titularidade.

Calleri sonha jogar na Europa, e esse será o destino dele no meio do ano. Mas ainda busca o passaporte comunitário para não ocupar uma vaga de estrangeiro por lá. Ele é descendente de italianos e deverá conseguir a documentação sem problemas, mas o processo pode levar meses, por isso passará o primeiro semestre por estas bandas.