Com a saída do técnico Levir Culpi, o torcedor do Atlético deve ter lamentado o fim do desconto no restaurante japonês do treinador, em Curitiba. No entanto, Frickson Erazo resolverá o problema. Aliás, nem tanto. O zagueiro equatoriano, que assinará por quatro temporadas, possui um estabelecimento do ramo, mas em Guayaquil, bem mais longe que a capital paranaense.
 
Aos 27 anos, o atleta defenderá o terceiro clube brasileiro seguido. Passagem ruim pelo Flamengo, apagada pelo bom rendimento no Grêmio. Titular da seleção equatoriana, o atleta vive o auge da carreira e passou as férias em Guayaquil, onde realizou um evento social chamado "Métele un gol a la pobreza" (Faça um gol na pobreza). O projeto, inclusive, teve adesão de Juanito Cazares.
 
Mas um lado pouco alegre do jogador foi vivenciado durante a Libertadores de 2015. Em março, quando o Inter enfrentou o Emelec, do Equador, Erazo foi consultado por uma rádio do país vizinho para dar dicas sobre como vencer o rival. Acabou que o atleta fez críticas à defesa do Colorado, time treinador justamente por Diego Aguirre, o novo chefe.
 
"No seu campo, o Inter sempre tenta fazer prevalecer sua condição de local. Eles vão muito rápido ao ataque, mas se defendem muito mal. O Emelec terá que fazer um gol nos primeiro minutos - afirmou, à Rádio SuperK 800 AM, para depois se explicar:
 
"Só queria esclarecer que não chamei ninguém de ruim, são companheiros de profissão. Sou zagueiro também. Só falei de alguns buracos na defesa", completou.