Após a grande atuação do Atlético diante do CSA no Independência neste domingo (2), com a vitória por 4 a 0, Rodrigo Santana elogiou o comprometimento e a união dos jogadores, chegando a dizer que não sabia apontar quem foi o melhor em campo ao fim da partida. Agora, o técnico  já está projetando a equipe para a partida de quinta-feira (6) diante do Santos, no Paecambu, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. No jogo de ida, o Galo ficou no zero a zero, precisando vencer fora de casa para garantir a vaga nas quartas. 

Para ele, não há dúvida de que a goleada pelo Campeonato Brasileiro foi sua melhor partida no comando do clube. "Com certeza foi o meu melhor jogo, tivemos uma disciplina tática muito grande e vimos que o grupo está bastante comprometido, brigando lá em cima. Encontramos o adversaário com uma postura muito defensiva e, ainda assim, conseguivos vazar o bloqueio e fazer quatro gols. A gente fez um bom jogo, tanto que eu não sei dizer quem foi o melhor em campo. Eles estão unicos, nunca ninguém reclamou de ficar de fora, estão entendendo bem esse rodízio", pontuou.

Para o jogo deste domingo, o comandante optou por Adilson no lugar de Zé Welison, que estaria sobrecarregado pela sequência de jogos. "Sabíamos que o jogo de hoje (domingo) pedia uma qualidade maior na saída de bola, de qualidade de passe para furar o bloqueio do CSA. Já contra o Santos, será um jogo que exige muito na parte física, principalmente na defesa. Então eu achei melhor segurar o Zé Welison e acabou que o Adilson, que distribuiu muitas bolas, ainda foi presenteado com um belo gol. Já na quinta, o jogo pede mais marcação, então a gente acha que o Zé já estará melhor e deve ir para o jogo", pontou. 

O treinador também comentou a grande atuação de Cazares no jogo contra o CSA. O equatoriano jogou pela esquerda, enquanto Luan atuou pelo meio. "A gente sempre conversa, ontem eu falei com ele após o treino e vocês viram o Cazares marcando aqui em baixo, acompanhou o Apodi. Ele percebeu que também tem que jogar sem a bola, mostrou comprometimento. No intervalo falei da importância dele e pude perceber que ele estava muito feliz e motivado. Esperamos que ele esteja inspirado também no jogo de quinta", disse Santana. 

Briga pela liderança 

Com a vitória fora de casa sobre a Chapecoense, por 2 a 1, o Palmeiras assumiu a liderança da competição com 16 pontos, um a mais que o clube alvinegro. Questionado sobre como tentar superar o time paulista, que está a 30 partidas sem perder no Brasileirão, Rodrigo Santana disse que o objetivo é fazer a sua parte. "Eu só posso pensar neles quando for enfrentá-los. Da mesma forma que eles não estão tropeçando, a gente também não pode. Vamos procurar somar pontos sem tropeçar e, quando enfrentarmos eles, buscar os pontos que perdemos aqui", falou. 

Para ele, o objetivo é manter a confiança, mas, também, os pés no chão. "Temos que ficar brigando em cima, essa sequência boa no início do campeonato acendeu a chama para a gente brigar pelo título. A torcida pode esperar isso, em casa, vamos jogar sempre para cima", garantiu o técnico. 

Ataque 

O comandante do Galo falou ainda sobre a dúvida quanto a quem será o atacante na partida pela Copa do Brasil. Neste domingo, Alerrando, apesar de não ter marcado, fez uma boa partida, chegando a perder um belo gol por cobertura, quando a bola parou na trave. 

"Ele está mostrando sua importância dentro do elenco, a gente conta com ele assim, sempre inspirado. Já o Ricardo é um jogador importante, experiente, que segue no departamento médico, mas a gente vai ver como ele vai estar até o jogo contra o Santos", concluiu.

Leia mais:
Mais do que os 4 a 0: goleada atleticana amplia hegemonia sobre o CSA de Alagoas
Sem dó nem piedade, Atlético faz 4 a 0 no CSA e se mantém na vice-liderança do Brasileirão
Primeira titularidade no Brasileiro e aniversário da filha: Alerrandro vive noite especial no Horto