Na tranquilidade de casa, a presença de Maria Rita tornou a folga de dois dias ainda mais relaxante. A mãe deixou os afazeres em Jeremoabo, no extremo Norte da Bahia, para cuidar do filho famoso em Belo Horizonte.

Entre uma garfada e outra no feijão tropeiro, o zagueiro Jemerson teve tempo para refletir e, junto aos colegas, tentar erguer novamente uma muralha à frente do goleiro Victor.

Autor de dois gols na goleada sobre o Flamengo, o defensor alargou ainda mais o sorriso. Porém, o bom desempenho ofensivo precisa vir acompanhado da solidez defensiva para o Galo seguir na cola do Corinthians.

No returno do Brasileirão, o jovem camisa 4 cometeu falhas individuais incomuns, juntamente com os companheiros Leonardo Silva, Marcos Rocha e Douglas Santos. A goleada do Santos foi o maior exemplo disto.

Inclusive, o goleiro Victor foi um alento. Com duas defesas de pênaltis contra Flamengo e Cruzeiro, ele impediu que o Galo tivesse, ao lado do Palmeiras, a pior defesa do segundo turno.

Diante do Urubu, o próprio goleiro corrigiu a falta feita em Marcelo Cirino. Mas, no clássico, ele tirou Jemerson da cruz, já que o zagueiro puxou o atacante Willian dentro da área, já no final da partida.

Por falar na marca do cal, o camisa 1 não teve a mesma sorte contra o Atlético-PR e Vasco. Foram quatro faltas dentro da área, outro sinal de que a marcação vem cometendo erros.

No returno, apenas a vitória contra o Avaí foi sem levar gols. São dez gols sofridos em oito partidas, uma média 34% maior que os números do turno inicial: 18 gols em 19 jogos.

Faltas e Cartões

Com um estilo de jogo que prima pela posse de bola, o Atlético é um time que tende a fazer poucas faltas. Mas houve um notório crescimento nos desarmes errados punidos pelos árbitros. No primeiro turno, foram 12,3 faltas por jogo. Agora, no segundo turno, são exatamente duas faltas a mais, em média.

Conhecido pelo estilo técnico adotado na hora da marcação, Jemerson enfrenta maior dificuldade para anular os atacantes. Para se ter uma ideia, ele tem quatro cartões amarelos na competição. O problema é que os dois primeiros demoraram 21 rodadas para aparecerem, enquanto o terceiro e quarto cartões surgiram em um espaço de seis partidas (contra Atlético-PR e Flamengo).

Inauguração

O goleiro Victor irá conceder uma entrevista coletiva para falar sobre a inauguração da unidade belo-horizontina da escolinha de goleiros do ídolo alvinegro. A “Muralha – Academia de Goleiros” será inaugurada no Clube Labareda, do Galo, no próximo dia 10. A escola possui outras duas unidades, em Jundiaí e Campinas (SP).