A surpreendente campanha do Atlético no Campeonato Brasileiro repercute nas cadeiras do Independência. E o programa de sócio-torcedor do clube alvinegro, o Galo na Veia, segue o embalo deste sucesso.

No duelo diante do Santos, na semana passada, a massa bateu recorde de público no Horto. Mais de 20.400 pagantes rodaram as roletas. Os associados foram responsáveis por 19% deste total, contabilizando 3.881 entradas.

Muito questionado pelo preço salgado da mensalidade – R$ 200 –, na época do seu lançamento, em maio, o programa agora decolou. O Atlético não divulga o número exato de sócios, mas funcionários da loja de Lourdes garantem que sobram pouco mais de 400 cotas.

Levando-se em conta que o Galo disponibilizou 5.400, seriam quase 5 mil vagas preenchidas e uma renda mensal de R$ 1 milhão. A “ajudinha” de Bernard, Ronaldinho Gaúcho e companhia acabou sendo fundamental. Tanto que, na estreia na Série A, frente ao Corinthians, apenas 1.312 sócios compareceram ao seu setor no estádio, localizado na Rua Ismênia Tunes, quase 9% dos 14.740 pagantes. Isso significa que o crescimento até a 13ª rodada ficou perto dos 200%.

Boa parte de tal aumento aconteceu no período em que o Atlético conquistou a liderança da tabela. Na sexta rodada, quando o time alvinegro bateu o Náutico (5 a 1) e alcançou a segunda posição, o Galo na Veia teve assistência de 1.698 torcedores.

Uma partida depois, a equipe já comemorava o topo e retornava à capital para derrotar a Portuguesa (2 a 0). Na ocasião, os associados chegaram a 2.749, 1.051 pessoas a mais que a anterior.

A expectativa é que, contra o Coritiba, na quinta-feira, o Galo na Veia supere a marca dos 4.500 presentes no Horto.

Após a CBF adiar o confronto contra o Flamengo – previamente agendado para sábado, no Rio –, o Atlético definiu um jogo-treino para a mesma data. O time enfrentará o Villa Nova, do técnico Reinaldo Lima, às 9h, na Cidade do Galo.
 

Leia mais na edição digital.