'Ele fica'

Rodrigo Caetano revela satisfação mútua entre Atlético e Turco Mohamed

Letícia Lopes
@leticialopesou
Publicado em 13/05/2022 às 07:00.
 (Pedro Souza / Atlético)

(Pedro Souza / Atlético)

Enquanto alguns torcedores questionam o trabalho de Turco no Atlético, o diretor de futebol, Rodrigo Caetano, foi enfático ao “defender” o treinador. Como argumento, ele ressaltou os números do técnico desde que chegou ao Galo, o bom relacionamento com a comissão e um fator que, segundo ele, “corta qualquer tipo de mimimi”: Mohamed diz que nunca viveu um ambiente tão favorável como no Alvinegro em toda sua carreira.

Fora do CT, as críticas e as dúvidas podem ser muitas. No Atlético, o dirigente garantiu que o clima é outro: “além da metodologia de trabalho, ele veio com seus três assistentes e passou rapidamente a gostar do Galo e do ambiente. É incrível nas conversas que tivemos ultimamente, com ele dizendo que não sabe se por conta da intensidade ou da forma como foi recebido, parece que tem um ano que está aqui. Para nós que estamos aqui há mais tempo ou um pouco mais de tempo, é motivo de orgulho. Mostra que os profissionais daqui recebem bem quem chega. Ele está bem satisfeito com relação a isso”.

Desde a chegada do argentino, em janeiro deste ano, são 26 jogos, com 17 vitórias, seis empates e duas derrotas. Para Rodrigo Caetano, este é um bom número.

“Todos nós exigimos tempo de trabalho e resultado. Acho que pelo período que ele está aqui, já apresentou trabalho e resultado. O aproveitamento dele é excelente em número de vitórias e conquistas”, defendeu.

Nessa quinta-feira, Rodrigo também “entregou” Turco durante a coletiva de imprensa. Após mais um empate, por 1 a 1, contra o Bragantino, nessa quarta-feira, o dirigente reiterou sua confiança no técnico e revelou algumas falas do treinador.

“Ele usou uma expressão de que, durante 30 anos atuando no futebol, nunca sentiu um ambiente tão favorável como aqui no Galo, com profissionais tão comprometidos. Isso é para cortar qualquer tipo de ‘mimimi’ ou burburinho”, iniciou.

“Ele é extremamente aberto ao diálogo, o tempo todo interage com nossos auxiliares permanentes. Às vezes vem um treinador e não considera os auxiliares permanentes, as informações do passado do clube. Por isso defendemos nossa comissão técnica permanente. E o Tony sempre conversa com eles”, completou Rodrigo.

Pressão externa

A pressão e a polêmica envolvendo a permanência de Turco, tem acontecido devido aos últimos jogos do Galo. Nas últimas seis partidas, o time venceu apenas uma vez. São quatro empates, uma derrota e uma vitória.

Em 2021, ano em que o Atlético conquistou o “Triplete Alvinegro”, sob o comando de Cuca, os números nos primeiros 26 jogos não são tão diferentes dos de agora. No ano passado, nas 26 primeiras partidas, o Galo tinha 3 derrotas e 4 empates.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por