Atual campeã, a seleção brasileira feminina de handebol entra em quadra neste sábado (5) para iniciar a busca pelo bicampeonato no Mundial da Dinamarca. A partida contra a Coreia do Sul, às 17h30, com transmissão de ESPN e SporTV, é a primeira da equipe no Grupo C, que conta ainda com Alemanha, França, Argentina e República Democrática do Congo.

"A expectativa é muito boa. Espero que nós possamos fazer um bom campeonato, sabemos que esse ano será mais difícil do que o último Mundial, mas acredito que podemos subir ao pódio mais uma vez e vamos lutar para isso", afirmou a central Ana Paula, que vive um ótimo momento e pode ser um dos destaques da equipe.

No total, são 24 seleções no Mundial, divididas em quatro grupos. Em cada chave, as quatro mais bem colocadas avançam para as oitavas de final e a partir daí a competição segue no formato de mata-mata. "Todas as equipes serão grandes adversárias. Aqui estão as melhores seleções, então qualquer jogo é difícil, qualquer jogo é decisivo", continuou Ana Paula.

A anfitriã Dinamarca pode ser colocada entre as favoritas ao título, assim como a Noruega, que vem colecionando títulos internacionais nos últimos anos. O Brasil tem uma equipe forte, mas houve algumas mudanças em relação ao time que foi campeão na Sérvia, em 2013. Mas isso não significa que a seleção esteja mais fraca, pelo contrário.

"Tivemos algumas mudanças de jogadoras por causa de lesão ou por opção técnica, mas acredito que as que estão aqui estão preparadas para jogar. Elas também se adaptaram muito bem ao grupo, então na minha opinião não mudou nada. O grupo continua unido em busca de um só objetivo", comentou Ana Paula.

Entre as estrelas da seleção estão a ponta Alexandra, eleita em 2011 a melhor jogadora do mundo, a armadora Duda Amorim, melhor do mundo na atualidade, a goleira Babi, a experiente pivô Dara e a ponta Fernanda. Outro ponto forte do Brasil é o técnico Morten Soubak.

"Ele estuda muito as outras equipes, observando cada detalhe. É um treinador que nos prepara para cada desafio, para cada equipe, pois sabe que todas elas têm sua maneira de jogar e seu estilo. Então ele vê vídeos e acerta algum detalhe para que cada uma de nós possa melhorar", elogiou Ana Paula.