Apenas pequenos detalhes impedem o Cruzeiro de anunciar oficialmente a contratação do meia argentino Matías Pisano para a próxima temporada. Para contar com o atleta, pouco conhecido no Brasil, o clube estrelado pagará um milhão de dólares (R$ 4 milhões aproximadamente) pelos 50% de seus direitos econômicos, além de perdoar a dívida de R$ 700 mil do Independiente referente ao empréstimo do atacante Ernesto Farías.

Pisano assinará com o Cruzeiro por três temporadas. Os outros 50% dos direitos econômicos pertencem ao Chacarita Juniors, clube que formou o meia, de 24 anos, considerado uma grande promessa do futebol argentino.

Pelos Independiente, Pisano disputou 99 partidas e marcou sete gols. Segundo o repórter do site Futebol Portenho, Tiago de Melo Gomes, a chegada de Pisano à Toca da Raposa agregará muito a equipe comandada pelo técnico Deivid.

"Ele começou no Chacarita Juniors, chamou a atenção, e de lá foi para o Independiente. Chegou logo que o clube caiu para a 2ª divisão, em 2013, e foi um dos principais jogadores da campanha de retorno à elite", disse Tiago.

"Foi titular de forma consistente por dois anos, mas perdeu espaço com a chegada de Pellegrino para técnico em meados deste ano. Pellegrino preferiu apostar em outros jogadores, e ele terminou o ano na reserva. É baixinho, muito agressivo, gosta de partir pra cima da marcação, é jogador bastante ofensivo. Mais para meia atacante (já jogou pelo meio e pela direita, acho que na ultima função se saiu melhor) que para armador. É um investimento interessante. Me agrada", finalizou o especialista.

SANCHEZ MIÑO INCOGNITA
Além de Pisano, próximo de ser anunciado, a diretoria do Cruzeiro efetivou a contratação por empréstimo do seu compatriota Sánchez Miño. Revelado pelo Boca Juniors, onde viveu seus melhores momentos, Minõ, de 25 anos, passou pelo Torino e pelo Estudiantes, onde não teve grande destaque.

No Boca, ele chamou atenção em 2012, quando foi titular e se destacou. No clube, atuou como lateral-esquerdo, volante e até armador. "Sanchez Miño é um jogador mediano. Faz o lado esquerdo, raramente sai de lá. Pode ser lateral ou meia esquerda", disse Tiago.

"Teve seu espaço no Boca, as vezes como titular, mais frequentemente como um reserva que entrava com frequência. Foi para um Torino que se reestruturava, havia contratado dúzias de jogadores com o dinheiro da venda de Cerci e Immobile (jogadores que vieram para a Copa do Mundo no Brasil), e não teve espaço. Depois de seis meses lá foi para um Estudiantes que começou e terminou o ano sem se acertar. É um jogador que pode ser útil, mas não será um protagonista. Pode valer a pena se o preço e as expectativas não forem altos", finalizou.

Confira o vídeo de Matías Pisano