O bancário Matheus Luiz Costa e Silva conta que teve que esperar 30 anos para ver o Atlético conquistar seu primeiro título de expressão. Sua filha, a pequena Maria Salles Costa e Silva, nascida às 14h dessa quinta-feira (27), na Maternidade Santa Fé, já é uma campeã. Vai ganhar até roupinha do Galo para sair do hospital.

Torcedor do Cruzeiro, o empresário Tadeu Cassimiro Santana, de 28 anos, até que não tinha do que reclamar no quarto ao lado da mesma maternidade. Ele já havia acompanhado a Raposa ser campeã da Copa Libertadores, do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil.

Mas sua filhinha Marina França Santana, que completa nesta sexta-feira (28) às 7h51 apenas um dia de vida, veio ao mundo em um dos melhores momentos do clube do Barro Preto, que acaba de garantir o tetra do Brasileiro. Em breve, ela será mais uma sócia torcedora do Cruzeiro, garante Tadeu.

Os mais novos atleticanos e cruzeirenses ainda não entendem o porquê de tantos foguetes soltados durante todo a quinta-feira, que o faziam chorar o tempo todo. Mas, certamente vieram para completar a alegria de seus pais que desfrutam momentos de muita euforia com seus times do coração.

Hino do Galo

Por muito pouco, a cruzeirense Marina não nasceu ao som do hino do Atlético, que tocava na manhã dessa quinta dentro do bloco cirúrgico do hospital. “Eu pedi para trocar. Aí colocaram Beatles, bem mais agradável”, brinca a mãe, Poliane Lopes França, também torcedora do Cruzeiro.

A pedido do primeiro filho Bernardo Ottoni, de quatro anos, o comerciante Rogério Araújo Silva, 34 anos, vestia a camisa 10, de Ronaldinho Gaúcho, quando o pequeno Bruno Sério Ottoni Araújo de Paula, nasceu nesta terça-feira histórica para os atleticanos. “Somos torcedores em qualquer situação. Mas ele nasceu em um momento muito especial, que vai marcar para sempre o título do Galo”, conta o pai.