Bicampeão! Atlético vira sobre o Bahia e conquista o título do Campeonato Brasileiro após 50 anos

Gustavo Andrade
@gfandrade
02/12/2021 às 19:54.
Atualizado em 08/12/2021 às 01:11
 (Pedro Souza/Atlético)

(Pedro Souza/Atlético)

Pedro Souza/Atlético

Keno entra para a história do Atlético como o autor dos gols do empate e da virada sobre o Bahia

Acabou a espera. Depois de 50 anos, o Atlético é novamente campeão brasileiro. Assim como o dia 19 de dezembro de 1971, o 2 de dezembro de 2021 estará para sempre na memória de quem torce contra o vento. O grito engasgado há meio século pôde ser solto depois da vitória sobre o Bahia, por 3 a 2, de virada, na Arena Fonte Nova. Agora, ninguém pode mais alcançar o Galo, que ainda jogará mais duas vezes neste Brasileirão.

Euforia, orgulho e alívio se misturam para o torcedor atleticano. Afinal, mesmo aqueles que não eram nascidos em 1971 herdaram sobre seus ombros o peso das gerações anteriores: 50 anos sem vencer a principal competição de futebol do país.

A redenção veio depois de uma longa espera marcada por um vice-campeonato invicto, perda de ídolos por lesão ou suspensão nos momentos decisivos, erros de arbitragem e até mesmo temporal numa semifinal. 

E foi com a cara do Galo, com o sofrimento que marcou o meio século de espera. Depois de Luiz Otávio e Gilberto fazerem 2 a 0 para o Bahia, o time alvinegro virou com três gols em cinco minutos.

Primeiro, Hulk diminuiu em cobrança de pênalti sofrido por Eduardo Sasha. Depois, Keno deixou seu nome registrado na eternidade do Clube Atlético Mineiro, assim como Dario fez em 1971 ao marcar, de cabeça, o gol da vitória sobre o Botafogo no Maracanã.  

O camisa 11 empatou e virou em dois chutes da entrada da área, decretando a vitória e o bicampeonato brasileiro.

Festa com a Massa 

A comemoração dos torcedores tão esperado título ao lado do time comandado por Cuca já foi iniciada em Belo Horizonte. No início da madrugada desta quinta-feira, a equipe alvinegra desfilará em carro do Corpo de Bombeiros até a Praça Sete, no centro da capital mineira.

No domingo (5), o Atlético tem sua última atuação no Mineirão, diante do Red Bull Bragantino. O último encontro no Gigante da Pampulha neste Campeonato Brasileiro poderá marcar o 16° triunfo consecutivo em casa — 17º como mandante, ao todo. Nenhum outro time pontuou tanto dentro de seus domínios. Fora de BH, a equipe alvinegra tem agora a maior pontuação como visitante até aqui.

Na sua campanha vitoriosa, o Galo uniu ainda a artilharia liderada pelo atacante Hulk, que chegou aos 18 gols no Brasileirão, com a defesa menos vazada do Brasileirão. 

O equilíbrio foi o principal trunfo da equipe comandada por Cuca. O treinador, que há oito anos foi campeão da Copa Libertadores, levanta a dúvida se já teria ultrapassado Telê Santana como o maior da história do Atlético.

Mas, para o atleticano, essa discussão agora pouco importa. O que é importante mesmo é que o Galo ganhou o Campeonato Brasileiro!

BAHIA 2 X 3 ATLÉTICO

BAHIA
Danilo Fernandes; Nino Paraíba, Conti, Luiz Otávio e Matheus Bahia; Mugni (Daniel), Patrick de Lucca e Rodriguinho (Ronaldo César); Rossi, Raí (Ramírez) e Gilberto (Rodallega)
Técnico: Guto Ferreira

ATLÉTICO
Everson; Mariano, Nathan Silva, Alonso e Guilherme Arana; Tchê Tchê, Zaracho (Rabello) e Nacho (Sasha); Vargas (Nathan), Hulk e Keno (Dodô)
Técnico: Cuca

DATA: 2 de dezembro de 2021 (quinta-feira)
LOCAL: Fonte Nova
CIDADE: Salvador
MOTIVO: 32ª rodada do Campeonato Brasileiro
ARBITRAGEM: Flávio Rodrigues de Souza (FIFA), auxiliado por Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA) e Alex Ang Ribeiro, todos de São Paulo
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
CARTÕES AMARELOS: Mugni, Patrick de Lucca (Bahia); Arana, Sasha, Nathan (Atlético)
GOLS: Luiz Otávio aos 16 minutos, Gilberto aos 20, Hulk aos 27, Keno aos 28 e aos 32 do segundo tempo
PÚBLICO: 29.415
RENDA: R$ 708.246

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por