O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta quarta-feira (11) a aprovação do empréstimo de R$ 400 milhões para a construção do Itaquerão, o novo estádio do Corinthians, que está sendo erguido no bairro de Itaquera, na zona leste de São Paulo. O recurso faz parte da linha de crédito especial criada pela instituição para as arenas da Copa do Mundo de 2014 e cobre 46% do valor total da obra, estimado em R$ 820 milhões.

Todos os 12 estádios que estão sendo erguidos ou reformados para a Copa tinham direito à linha de crédito do BNDES, no valor máximo de R$ 400 milhões para cada. Antes do Itaquerão, o banco já tinha aprovado o empréstimo para Belo Horizonte (R$ 400 milhões), Cuiabá (R$ 393 milhões), Fortaleza (R$ 351,5 milhões), Manaus (R$ 400 milhões), Natal (R$ 396,5 milhões), Salvador (R$ 323,7 milhões), Recife (R$ 400 milhões) e Rio (R$ 400 milhões).

Além do dinheiro do BNDES, a prefeitura de São Paulo concedeu incentivos fiscais no valor de R$ 420 milhões para que o Corinthians e a construtora Odebrecht pudessem construir o estádio. E o governo estadual deve investir mais cerca de R$ 70 milhões em arquibancadas temporárias, para que o Itaquerão tenha capacidade para 68 mil pessoas e possa receber a abertura da Copa - depois do Mundial, será reduzido para 48 mil lugares.

Escolhido como o estádio de São Paulo na Copa, o Itaquerão receberá a abertura e outros cinco jogos, incluindo uma semifinal. Com operários trabalhando em três turnos - são mais de 1,8 mil pessoas atualmente no canteiro de obras -, a construção do estádio do Corinthians já atingiu um patamar de 40% de conclusão. E a previsão de entrega é em dezembro de 2013.

Agora, com a aprovação do crédito para o Itaquerão, o BNDES ainda estuda o empréstimo para dois estádios da Copa, os únicos que são particulares: a Arena da Baixada, em Curitiba, e o Beira-Rio, em Porto Alegre. Enquanto isso, o Estádio Nacional, em Brasília, não irá utilizar recursos do banco.