Uma das principais contrações do Atlético nos últimos anos, o atacante Hulk ainda busca uma sequência de bons jogos com a camisa alvinegra.

Personagem de uma polêmica com o técnico Cuca nos últimos dias, desencadeada pelas cobranças públicas por mais minutos em campo, o atacante foi decisivo no primeiro triunfo do Galo na Libertadores.

O camisa 7 marcou os dois gols do triunfo do Alvinegro sobre o América de Cali, da Colômbia, por 2 a 1, no Mineirão, na última terça (27), pela segunda rodada do grupo H da principal competição do continente.

Além das bolas nas redes, outro fator que pode fazer com que Hulk deslanche no Atlético é a possibilidade de se firmar em uma posição diferente da que atuou na maior parte da carreira.

Com o desempenho aquém do esperado de Eduardo Vargas, e com o suplente Eduardo Sasha também sem convencer, Hulk foi escalado como centroavante no segundo tempo do duelo com a equipe colombiana e correspondeu.

Centralizado, não só serviu como referência no comando de ataque, tendo presença de área e fixando os zagueiros, como também conseguiu se movimentar e dar continuidade em várias jogadas no setor ofensivo, como ocorreu nas duas vezes em que balançou as redes. 

Na primeira, recebeu passe de Nathan, invadiu a área em velocidade até ser derrubado pelo goleiro Graterol. Na sequência, ele mesmo se apresentou para a cobrança do pênalti e abriu o placar. 

Minutos depois, aproveitou bela trama de Keno e Savarino para finalizar com categoria, dentro da área do adversário. Destaque para a assitência de calcanhar do venezuelano, que rendeu um agradecimento especial de Hulk na comemoração. 

O bom desempenho diante do América deixa claro que o ex-atacante da seleção, que pouco havia rendido em sua posição origem nas beiradas do campo (um gol em nove jogos), pode encontrar um lugar no time justamente onde ninguém vem convencendo nesta temporada. 

Após a partida, o camisa 7 comemorou a atuação e se colocou a disposição para atuar novamente como centroavante.

“Eu acho que eu consegui fazer o que o professor Cuquinha pediu, junto com o Cuca. Ajudei os companheiros. Quem vai decidir onde irei jogar é o professor. Vou trabalhar a cada dia, treino e jogo para atingir meu melhor nível e poder ajudar o time do Atlético”, disse o atacante, em entrevista coletiva após o duelo no Gigante da Pampulha.

Nas mãos de Cuca

Comandante do Atlético diante do América de Cali, o auxiliar-técnico Cuquinha, que substituiu o suspenso Cuca à beira do campo, destacou o papel de Hulk na vitória alvinegra. 

“Não digo inoperância (atuação de Vargas). No primeiro tempo criamos bastante chances, só não fizemos o gol. O Hulk entrou no segundo tempo, fez os gols, mas quem resolve é o Cuca durante a semana. Com decisão no sábado, na próxima terça, a gora é só assim. A força do grupo do Atlético-MG tem que ser mostrada a cada jogo”, disse o auxiliar, também após o confronto no Mineirão.

Sobre a manutenção de Hulk no time, Cuquinha se esquivou, citou outros postulantes à posição, afirmando que tal decisão será tomada pelo seu irmão.

“Não digo tendência (Hulk ser o centroavante titular), mas a gente tem o Marrony que sabe fazer como centroavante, tem o Hulk, tem o Vargas, Sasha. O Cuca vai resolver durante a semana como eu falei. Bom é aproveitar o momento de cada um”.

O próximo desafio do Galo na Libertadores será na próxima terça, às 19h15, diante do Cerro Porteño, novamente no Mineirão. Antes, o Atlético encara o Tombense, no próximo sábado, às 16h30, no Independência, no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Mineiro.