O Bom Senso FC, movimento que cobra melhorias no futebol brasileiro, divulgou uma nota nesta segunda-feira (8) em que pede a renúncia imediata do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero. De acordo com o movimento, o pedido é por não acreditar que Marco Polo Del Nero "aprove as mudanças estatutárias que visam democratizar a entidade e iniciar o processo de renovação reivindicado pelos torcedores, por ídolos do nosso futebol e por amplas parcelas da mídia e da sociedade".
 
Na última quarta-feira (3), a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) convocou uma assembleia extraordinária para o dia 11 de junho para discutir com as 27 federações filiadas, entre outros pontos, reformas no estatuto da entidade.
 
Não está claro, até o momento, quais essas mudanças, mas o comunicado cita o artigo 40 do atual estatuto, que diz que o presidente em mandato, no caso Marco Polo Del Nero, pode sugerir mudanças no documento.
 
Na nota divulgada nesta segunda-feira (8), o Bom Senso ainda cita que a sociedade brasileira cobra mudanças reais no modelo de gestão da CBF após a prisão do ex-presidente da entidade José Maria Marin, investigado pela Justiça americana em um suposto esquema de corrupção, e a renúncia do presidente da Fifa, Blatter.
 
O movimento ainda pede a convocação de novas eleições para a presidência da entidade até o final deste ano.
 
O movimento que cobra melhorias no futebol brasileiro cita que as reivindicações são: a limitação de mandatos, permitindo apenas uma reeleição à presidência da entidade; democratização das instâncias de decisão da CBF; direito a voto a todos os clubes participantes do Campeonato Brasileiro; diminuição da cláusula de barreira para inscrição de chapas à presidência da CBF; adoção das medidas de Fair Play Financeiro previstas no texto original da MP 671; banimento do esporte de todos os envolvidos com escândalos de corrupção.

 

As mudanças que o Futebol quer na CBF - http://bit.ly/Mudar_a_CBFA partir da prisão de Marin e da renúncia de Blatter,...

Posted by Bom Senso F.C. on Segunda, 8 de junho de 2015