O Brasil é o país com o melhor aproveitamento de vagas olímpicas nos Jogos Pan-Americanos até o momento. Em Lima, a delegação nacional já conquistou 22 para os Jogos de Tóquio, o maior número absoluto entre as 41 nações participantes de competição, à frente até dos Estados Unidos.

Das vagas que um comitê olímpico nacional poderia conquistar até o momento, o Time Brasil obteve 34,38%, à frente dos Estados Unidos (13 vagas e 20,31%) e Canadá (11 vagas e 17,19%). Até o fim do Pan serão distribuídas 175 vagas olímpicas, mas um mesmo país poderá obter no máximo 145.

O aproveitamento do Brasil só não é maior porque o time masculino de handebol acabou perdendo a semifinal para o Chile no domingo e ficou fora da decisão do Pan pela primeira vez desde a edição de 1987, quando acabou na terceira posição. Isso significou 14 vagas a menos para Tóquio por enquanto.

Outra frustração veio no tiro esportivo com Julio Almeida, na prova de pistola de ar 10m. O brasileiro liderava até o 20.º de 24 tiros, mas errou a mira no final e acabou ficando na terceira posição - só os dois primeiros têm vagas garantidas nos Jogos.

Mas em Lima outras modalidades conseguiram garantir mais espaço na delegação do Time Brasil para 2020. A seleção feminina de handebol (14 atletas) foi campeã e confirmou sua ida para Tóquio. As equipes de adestramento (3) e CCE (3) do hipismo também foram bem, com bronze e prata, respectivamente, e estarão no Japão. Nas vagas individuais, Iêda Guimarães, do pentatlo moderno, e João Menezes, do tênis, também estarão no Japão.

"Viemos aqui primeiramente para garantir a nossa qualificação para Tóquio e atingimos nosso objetivo. Só tenho a agradecer o esforço individual de cada um dos integrantes da nossa equipe, técnico e chefe de equipe", afirmou Carlos Parro, do Concurso Completo, que reúne adestramento, cross country e salto. No individual, ele ainda faturou o bronze.

Com isso, o Brasil já tem 80 vagas confirmadas para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Em algumas modalidades, como vôlei e vôlei de praia, o Comitê Olímpico do Brasil aceitou não ter seus melhores atletas no Pan porque as vagas olímpicas são disputadas em outras competições. A estratégia deu certo e a seleção feminina de vôlei carimbou sua vaga no Pré-Olímpico e agora estará no Pan com um time mesclado.

Leia mais:
Brasil conquista duas medalhas no tênis de mesa dos Jogos Pan-Americanos
Brasil abre última semana do Pan como vice-líder do quadro de medalhas
Após vice, Rogerinho sobe 30 posições na ATP e volta a ser número 2 do Brasil