O Brasil garantiu com um dia de antecipação, neste sábado, o título do "Desafio Melhores do Mundo" que trava com os Estados Unidos no vôlei de praia, em Copacabana, no Rio. Após uma série de confrontos realizados em set único na quinta e na sexta-feira, este sábado contou apenas com as disputas do bronze no masculino e no feminino. E os brasileiros levaram a melhor entre os homens com Bruno Schmid e Thiago vencendo Patterson e Gibb por 2 sets a 0, com parciais de 21/8 e 21/17. Já entre as mulheres, Agatha e Bárbara Seixas acabaram batidas por Walsh e Ross por 2 sets a 1, de virada, com 21/18, 16/21 e 7/15.

Com os resultados do dia, o Brasil chegou aos 25 pontos na disputa geral que faz com os norte-americanos, que somam apenas 13 ao total e não podem mais alcançar o rival neste domingo, para quando estão previstas as finais masculina e feminina. Em uma delas, Pedro Solberg e Evandro encaram Hyden e Bourne, a partir das 12 horas. Logo em seguida, Larissa e Talita enfrentam Fopma e Sweat.

Curiosamente, Thiago acabou ficando com o bronze na Praia de Copacabana depois de ter sido escalado às pressas para substituir Alison, parceiro de Bruno Schmidt, que ficou fora deste evento por causa de uma apendicite.

"É muito prazeroso representar o Brasil num nível tão alto, quase um aquecimento olímpico. Não sei nem explicar direito a alegria que estou sentindo. Estava fora de torneios mundiais há dois anos e poder subir ao pódio é incrível, ainda mais com tantos jogadores de qualidade. Tenho que agradecer ao Bruno e sua comissão técnica pela confiança. Não estava escalado e ele confiou em mim após o problema de apendicite do Alison. É ótimo sair daqui com uma medalha", afirmou Thiago.

Bruno Schmidt, por sua vez, também ressaltou o peso da medalha de bronze. "Se tratando de um desafio, qualquer jogo é importante. Queríamos esticar o torneio, disputar o máximo de partidas, e conseguimos. Conseguimos o bronze em cima de uma dupla que vem muito bem no Circuito Mundial, que em 2014 só ficou atrás do Dalhausser e do Rosenthal, entre os americanos", ressaltou.

Já Bárbara e Agatha exibiram conformismo após a derrota na disputa do bronze entre as mulheres, até pelo fato de que conseguiram se garantir na luta por medalhas entre as muitas duplas que participaram da primeira fase da competição.

"A gente sabe que a rivalidade é muito grande, as duplas são muito boas e poder participar deste desafio, mostrar nosso voleibol para as duplas dos EUA é demais. Obrigado pela força e energia que vocês passaram", agradeceu Bárbara. "No primeiro set conseguimos fazer o que deveríamos ter feito durante o jogo todo. Virar nossas bolas. Se você não conseguir isso com uma dupla de alto nível, fica muito mais difícil. Do outro lado tem um time que faz a parte deles muito bem, basicamente a virada de bola foi o diferencial para a vitória delas", disse Ágatha.