Lucas Bittencourt, Caio Souza e Pétrix Barbosa deixaram de lado o polêmico caso de racismo na seleção de ginástica artística para se classificarem à três finais por aparelho no primeiro dia do etapa de Anadia (Portugal) da Copa do Mundo da modalidade. Na sexta, os brasileiros se apresentam em mais três aparelhos.

Diferente da etapa paulista da Copa do Mundo, quando os especialistas se apresentaram, em Anadia os treinadores da seleção estão observando o desempenho dos chamados generalistas, que têm como foco somar a maior pontuação possível na soma de todos os aparelhos. Como não se concentram em apenas uma prova, têm menos chances de medalha, mas são fundamentais para o resultado por equipes.

No primeiro dia da classificação em Portugal, o destaque ficou com Lucas Bittencourt, que avançou à final com a quinta melhor nota tanto no cavalo com alças (14.400) quanto nas argolas (15.000). Ainda foi o 12.º no solo (14.450), entre 43 competidores. Na soma dos três aparelhos, melhorou 2.684 pontos na comparação com seu desempenho no Mundial passado.

Caio Souza passou à final do solo em sexto (14.700), enquanto Pétrix Barbosa vai brigar por medalhas no cavalo com alças depois de ser o oitavo da classificação (14.200). Só Francisco Barreto não teve sucesso nesta quinta, terminando em 11.º nas argolas. Mas ele vai melhor nas provas de barra fixa e barra paralela, que terão eliminatória na sexta.