Membros da diretoria do Cruzeiro, do departamento de segurança do Mineirão, a Polícia Militar e integrantes da Federação Mineira de Futebol (FMF) se reuniram na tarde desta quinta-feira (5), na sede da entidade que comanda o futebol no Estado, para definir detalhes da partida entre Raposa e Palmeiras, último jogo do time celeste no Campeonato Brasileiro de 2019.

Como luta desesperadamente contra o rebaixamento, essa partida do Cruzeiro é tida como "perigosa" pelos agentes de segurança e pela própria administração do Mineirão, palco do duelo que pode sacramentar à permanência na Série A ou queda da Raposa para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. 

briga

"Realmente existe esse receio muito grande de todos os órgãos de segurança envolvidos na partida, inclusive do próprio clube. O Cruzeiro enviou à Federação Mineira de Futebol (FMF) um pedido para que essa partida fosse realizada com torcida única. O problema é que o prazo é muito pequeno (para aprovar a medida) e existe uma legislação que regula o prazo de modificação. Nós ainda não te vemos uma resposta", disse o advogado Edson Travassos, um dos representantes do clube estrelado na reunião, em conversa com o Hoje em Dia. 

Segundo a ata do jogo, definida nesta quinta-feira, a previsão inicial de público é de 30 mil, sendo 25 mil ingressos destinados à torcida do Cruzeiro e cinco mil à administradora do estádio.

Inicialmente, até que haja uma resposta da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre o pedido da diretoria do Cruzeiro por torcida única no jogo de domingo, uma carga mínima de foi liberada para torcedores visitantes.

"Diante dessa indecisão, a ata da reunião, está prevista uma carga de 1000 ingressos para a torcida do adversária", completou Travassos.

Ainda de acordo com o advogado do Cruzeiro, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) apoia também que o jogo contra o Palmeiras contemple apenas torcedores do Cruzeiro no Mineirão. 

Mas, posso adiante que o Ministério Público (de Minas Gerais) já se manisfetou com esse mesmo entendimento que o Cruzeiro (jogo sem a torcida visitante). Estamos aguardando uma manifestação da CBF, que pode ocorrer tanto hoje (quinta) como amanhã (sexta-feira). Se isso ocorrer, vamos enviar um pedido mudando a carga de ingressos e abertura de portões para torcida única, se for o caso", concluiu.

Mineirão

A torcida única, segundo informações de bastidores, também é um desejo do Mineirão. O estádio foi palco de episódios lamentáveis recentes envolvendo briga entre organizadas do próprio Cruzeiro, e momentos de selvageria no último clássico, no dia 10 de novembro.

Naquele dia cadeiras foram arremessadas da arquibancada superior à inferior, onde ficam os camarotes. Um balde de gelo foi arremessado por um torcedor do Cruzeiro em direção à torcida atleticana. Bombas de efeito moral foram utilizadas pela Polícia Militar e várias pessoas foram detidas, além de um caso de injúria racial registrado.

Representante do departamento de segurança do Mineirão, Sandro Afonso Teatini afirma que o jogo com torcida única facilita a operação no dia do jogo.

"Obviamente que há uma facilitação para a operação de um estádio, mas isso ultrapassa nossa capacidade de intervenção. Isso tem de partir dos clubes e dos órgãos de segurança pública. As medidas de segurança do torcedor têm sido tomadas com o clube mandante, que é responsável pela realização do evento, e com os poderes públicos, em especial com a Polícia Militar, Polícia Civil e Ministério Público. De forma que possamos ter um jogo tranquilo na questão de segurança", afirmou ao Hoje em Dia. 

Questionado pela reportagem sobre o número de seguranças particulares que estarão à serviço no jogo de domingo, Teatini garantiu que o número será suficiente para auxiliar na manutenção da ordem nos pontos estratégicos do Mineirão.

"O número de seguranças é adequado para cada evento. Não existe um número padrão. A cada jogo a gente faz a readequação de efetivos, seguindo o estatuto do torcedor. Embora a carga de ingressos para esse jogo seja menor (que o clássico com o Atlléico), o número de operadores de segurança será majorado para atender circunstâncias e a importância do jogo", garantiu.

Na ata da partida entre Cruzeiro e Palmeiras está designado que 504 seguranças particulares trabalharão no jogo.