O Campeonato Alemão, apesar de ser uma das ligas com melhor média de público do mundo e de ter o único clube que joga um torneio nacional com taxa de 100% de ocupação do seu estádio, que é o Bayern de Munique, nunca foi tão atrativo para o torcedor mineiro como será neste sábado, quando a Bundesliga retorna, após mais de dois meses parada por causa da pandemia do novo coronavírus, e terá jogos transmitidos ao vivo pelos canais Fox Sports e ESPN Brasil.

Mas muito antes de ser a única saída para se voltar a ver o esporte bretão ao vivo, exatamente dois meses após a última partida disputada pelo Estadual, em 16 de março, quando o Democrata-GV perdeu por 2 a 1 para o Betim, em Governador Valadares, pelo Módulo II, o futebol alemão já tinha fortes laços com Minas Gerais.

Claro, eles se tornaram mundiais e famosos com os 7 a 1 aplicados pela seleção da Alemanha sobre a do Brasil, em 8 de julho de 2014, no Mineirão, numa das semifinais da Copa que nós sediamos naquele ano. Mas pode-se dizer, sem dúvida, que são 70 anos de história.

E ela tem capítulos inesquecíveis. Como os seis jogos que o Atlético fez na Alemanha, em 1950, numa excursão de dez partidas pela Europa e que na volta lhe fez garantir o simbólico título de campeão do gelo.

Há ainda as duas finais de Mundial Interclubes disputadas pelo Cruzeiro, em 1976 e 1997, contra Bayern de Munique e Borussia Dortmund. Sem contar os garotos que se destacaram aqui, e foram vendidos para lá. Ou aqueles que deixaram a Bundesliga para reforçar Galo e Raposa. São essas as histórias contadas a seguir.

Bundesliga, uai! Relação Minas-Alemanha no futebol vem antes da retomada dos jogos na Europa