A Confederação Africana de Futebol (CAF) negou nesta terça-feira (16) que tenha anulado o embargo temporário em Guiné, que impede que o local receba partidas momentaneamente. A federação do país havia garantido na segunda que recebeu carta branca da entidade continental para voltar a sediar jogos em território guineense.

Guiné é um dos lugares mais afetados pela epidemia do vírus Ebola, que matou cerca de 500 pessoas apenas no país, e por isso foi impedido de sediar partidas. A federação de futebol local, no entanto, garantiu que o embargo havia sido suspenso depois de ter sido constatado que já não há risco de dano à saúde de atletas e torcedores.

Mas a CAF negou qualquer tipo de liberação e garantiu que uma decisão de fato só será tomada durante um encontro de seu comitê executivo na sexta-feira e no sábado, na Etiópia. A entidade explicou ainda que uma nova avaliação do país será feita em consulta à Organização Mundial da Saúde.

O próximo jogo de Guiné é contra Gana, em 10 de outubro. Pelas Eliminatórias da Copa Africana, o país já foi mandante diante de Togo, mas a vitória por 2 a 1 aconteceu em campo neutro, no Marrocos. Depois, na segunda rodada do Grupo E, derrota por 2 a 0 para Uganda, em Kampala.