O Brasil subiu ao pódio neste sábado (23), primeiro dia de finais por aparelhos na etapa de Anadia, em Portugal, da Copa do Mundo de Ginástica. Caio Souza surpreendeu, fez uma série bastante segura e faturou a medalha de bronze no solo, se mostrando totalmente recuperado de uma lesão no pé direito que o incomodava desde o ano passado.

A medalha surpreendeu porque, diferente da etapa paulista da Copa do Mundo, quando os especialistas se apresentaram, em Anadia os treinadores da seleção estão observando o desempenho dos chamados generalistas, que têm como foco somar a maior pontuação possível na soma de todos os aparelhos. Como não se concentram em apenas uma prova, teriam menos chances de pódio.

Só que Caio ignorou este prognóstico, executou os movimentos sem grandes sustos neste sábado e garantiu a medalha ao terminar com 14,750, pontuação superior à da eliminatória, quando teve 14,700. Ele só ficou atrás do campeão Manrique Larduet, de Cuba, que marcou 15,075, e do segundo colocado Ziga Silc, da Eslovênia, com 14,925.

No cavalo com alças, o Brasil tinha dois representantes, mas ambos sofreram com quedas e terminaram nas últimas colocações. Lucas Bittencourt foi o oitavo, com 13,075 pontos, enquanto Petrix Barbosa foi só um pouco melhor e terminou em sétimo, com 13,175. O ouro ficou com o colombiano Jossimar Calvo, que marcou 15,325 pontos.

Lucas Bittencourt ainda representou o País na outra final deste sábado, a das argolas, mas também deixou a desejar. Com 14,375 pontos, teve resultado pior do que nas eliminatórias, quando marcou 15,000. Essa pontuação poderia lhe dar a prata neste sábado. O título ficou com o argentino Federico Molinari, com 15,275.

A equipe brasileira ainda terá representantes em três finais no domingo. Depois do bronze no solo, Caio Souza disputará medalhas no salto e nas paralelas. Já Francisco Barreto participará da decisão na barra fixa.