A seleção brasileira feminina de vôlei desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, na manhã desta terça-feira (3). A sensação de dever cumprido, com o nono título do País no Grand Prix conquistado no último domingo, em Sapporo, no Japão, estava no rosto de cada jogadora. Todas fizeram questão de exaltar o grupo, inclusive aquelas que se destacaram mais, como Thaísa, eleita melhor atleta da competição.

"Sem dúvida, tenho que agradecer a todas as meninas da seleção. Eu estava bem abaixo do meu normal e contei com a ajuda de todas. Chegar ao fim e receber essas premiações me deixa feliz, mas não me preocupo muito com isso. Estou aqui para somar. Sabemos que temos muito o que melhorar, o time é novo e vamos continuar crescendo a cada competição", disse ela, que também foi eleita a melhor central do torneio.

Outra que foi premiada individualmente foi a experiente Fabi, que aos 33 anos recebeu o troféu de melhor líbero da competição. Apesar de também exaltar a conquista, a jogadora preferiu ponderar e pediu que o trabalho continue sendo feito da mesma maneira até os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

"Claro que foi um grande resultado, mas temos que lembrar que a caminhada até a Olimpíada de 2016 ainda é longa. Estou feliz por ajudar a equipe. Estou cada vez mais experiente e brinco que a velhinha ainda está contribuindo", comentou a líbero, uma das mais experientes do grupo.

O Brasil chegou ao título no Japão com uma campanha impecável na fase final. Foram cinco vitórias em cinco partidas, sendo que apenas em uma a seleção perdeu sets - no 3 a 2 diante dos Estados Unidos. Para o técnico José Roberto Guimarães, o resultado é fruto da longa preparação a que a seleção se submeteu.

"O importante foi como o time jogou, como encaramos a competição e, depois, a fase final, onde tivemos cinco jogos e cinco vitórias contra adversários e escolas diferentes. O fato de as jogadoras terem voltado antes do prazo ajudou para elas chegarem bem em Sapporo", apontou.