O Campeonato Mineiro de 2015 entra na reta final da fase classificatória vivendo um equilíbrio nunca registrado na competição desde que o formato atual de disputa foi implantado, em 2004.
 
Apenas dois pontos separam o líder Cruzeiro do América, que é quinto colocado. Para o Tombense, que é sexto, a diferença é de apenas quatro.
 
“Nunca vi um Campeonato Mineiro tão equilibrado como o de 2015, com o sexto colocado com 10 pontos, a apenas quatro do líder”, revela Gilcione Nonato da Costa, professor do Departamento de Matemática da UFMG e coordenador do site Probabilidades no Futebol.
 
Para Léo Figueiredo, comentarista da Rádio Itatiaia, a nova realidade tem dois motivos.
 
“Não podemos desconsiderar a perda de força de Atlético e Cruzeiro, o decréscimo de qualidade dos dois times. Mas vejo também o América remodelado, com uma boa postura, e o Villa Nova com uma campanha muito acima do esperado, pela sua receita”, afirma o jornalista.
 
Nos dois últimos anos, 16 pontos foram suficientes para um time garantir vaga nas semifinais do Estadual. Em 2012 e 2011, a marca foi 17.

América e Villa Nova
Com o 0 a 0 diante do Villa Nova, o América perdeu a vaga no G-4 para a Caldense (Foto: Lucas Prates/Hoje em Dia)
 
Este ano, segundo os números do Probabilidades no Futebol, a realidade será bem diferente.
 
“Como faltam cinco rodadas e 15 pontos, podemos assegurar que a margem segura é 20. Com 19, corre-se o risco de ter um time com essa pontuação que fique de fora das semifinais. O mais provável é que não aconteça, mas temos cerca de 20% de chances. Depende do desempenho do Villa Nova contra Cruzeiro e Atlético”, afirma Gilcione.
 
A sétima rodada, que começa nesta quarta-feira (11), terá dois confrontos envolvendo os times que formam o G-4, com Villa Nova e Cruzeiro jogando em Sete Lagoas, e a Caldense recebendo o Atlético, quinta-feira, em Poços de Caldas.
 
Vantagem para América e Tombense, que jogam em casa e contra times que brigam contra o rebaixamento.
 
O Coelho recebe o vice-lanterna Mamoré, no Independência, e o Tombense o Democrata-GV, que é nono, mas com os mesmos quatro pontos do Sapo.
 
O equilíbrio do Campeonato Mineiro pode dificultar a vida de Cruzeiro e Atlético, que paralelamente à competição disputam ainda a Copa Libertadores, o que muitas vezes obriga a escalação de reservas no Estadual.
 
De toda forma, para Gilcione, vencendo os dois jogos em que serão mandantes, contra times do interior, eles já se garantem nas semifinais.
 
Rebaixamento
 
No ano passado, foram necessários 11 pontos para se evitar a queda para o Módulo II. Nos três anos anteriores, com oito, a permanência na Primeira Divisão foi assegurada.
 
Os números da UFMG mostram que em 2015 a marca para se evitar o descenso deve ficar nos dez pontos, sendo que o Tupi carrega uma pequena vantagem nessa briga ingrata contra o rebaixamento. 

arte