Ele chegou! Rogério Ceni, o novo treinador do Cruzeiro, madrugou para chegar a Belo Horizonte e desembarcou nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (13) no aeroporto de Confins. Ceni agradeceu o carinho do torcedor e disse que o momento é de orgulho por chegar ao Cruzeiro. “Agradeço o carinho. Hoje é um dia especial. Camisa linda, maravilhosa. É um orgulho dizer que faço parte do Cruzeiro”, afirmou. 

Recepcionado por jornalistas, Ceni conversou rapidamente com a imprensa e falou sobre sua chegada ao clube estrelado. “Para mim é um prazer muito grande chegar aqui, apesar da noite viajando. Não sabia que vocês (jornalistas) estariam aqui (no aeroporto), achei que falaríamos apenas mais tarde. Para mim é uma honra usar o azul do Cruzeiro. Espero corresponder e fazer o Cruzeiro se reerguer neste momento de dificuldade que o clube enfrenta”, disse o novo treinador. 

Escolhido pela diretoria azul e com o aval dos jogadores, Ceni comentou sobre o início do seu trabalho.  Tenho as minhas convicções de trabalho. Mas eu torço para que o grupo tenha desenhos, tenha vontade, tenha ímpeto, porque no final das contas somos coadjuvantes e os atletas que decidem. Fui atleta há pouco tempo. Se eles acreditarem no trabalho, o Cruzeiro consegue (sair da crise)”, comentou. 

Em maio o treinador rejeitou uma proposta do Atlético, que naquela época trocava Levir Culpi de seu comando técnico. Ceni falou sobre essa negativa. "São duas grandes equipes (Cruzeiro e Atlético). Há quatro meses eu não poderia trabalhar em lugar nenhum do Brasil porque eu estava no meio de duas finais de Campeonato: estadual e da Copa do Nordeste. Eu tinha o desejo de ser campeão. São momentos completamente distintos”, explicou. 

O treinador comandou o Fortaleza em 94 jogos, venceu 51, teve 18 empates e perdeu 25, somando aproveitamento de 60,63%. Ceni assina contrato com o Cruzeiro até o fim de 2020, quando termina o mandato do presidente Wagner Pires de Sá. 

“O Fortaleza se tornou uma equipe vencedora. Ficar no Fortaleza seria correto. Vir para p Cruzeiro também é correto. Estamos em uma semifinal de Copa do Brasil. É uma situação delicada, difícil, mas não é impossível de se reverter. Quando se tem a oportunidade de conquistar um título, não podemos deixar escapar”, disse. 

Sobre o último treinador do clube, Mano Menezes, Rogério Ceni disse que o respeita bastante, mas afirmou que seu estilo de trabalho é diferente do antigo comandante. “Primeiro, é um treinador que ganhou quatro títulos aqui. O Mano tem um estilo de jogo, é um cara que merece meu respeito. Tenho uma característica diferente. Vamos tentar fazer um time mais rápido e mais agressivo possível”, finalizou.

Leia mais:
Copa do Brasil seduziu Ceni, que tenta buscar como treinador o título que lhe faltou como jogador
Novo técnico do Cruzeiro, Ceni se despede emocionado do Fortaleza: ‘saio melhor que entrei’