Quatro meses após recusar a proposta para treinar o Atlético, que na época demitia o técnico Levir Culpi, Rogério Ceni aceitou deixar o Fortaleza e desembarcou em Belo Horizonte para treinar o arquirrival do time alvinegro, o Cruzeiro.

Aos jornalistas, o "goleiro artilheiro" teceu elogios ao clube celeste. "Pra mim uma honra usar o azul do Cruzeiro", "camisa linda, maravilhosa" e "é um orgulho dizer que faço parte do Cruzeiro", foram algumas das frases ditas por Ceni, ao pisar na capital mineira.

A negativa em comandar o Atlético, claro, gerou comentários entre os torcedores e foi assunto também no Aeroporto de Confins, onde Ceni desembarcou no início da manhã desta terça-feira (13). E pela primeira vez ele se explicou sobre a "polêmica".

"São duas grandes equipes (Cruzeiro e Atlético). Há quatro meses eu não poderia trabalhar em lugar nenhum do Brasil porque eu estava no meio de duas finais de Campeonato: estadual e da Copa do Nordeste. Eu tinha o desejo de ser campeão. São momentos completamente distintos”, declarou.

Contrato

Ceni assinará contrato com o Cruzeiro até dezembro de 2020. A apresentação dele está marcada para às 14h30. Logo depois, ele já deve treinar o time na Toca da Raposa 2, na Pampulha.

Leia mais:
Ceni chega a BH, fala em orgulho por acertar com o Cruzeiro e promete time ‘rápido e agressivo’