rogério ceni, fortaleza, ceni
 

 

O Fortaleza disputará em 2020 a Copa Sul-Americana, a primeira competição internacional do clube em toda a história. O técnico Rogério Ceni tem sido considerado um dos grandes mentores do sucesso do tricolor cearense, que lutou até a penúltima rodada por vaga na Copa Libertadores do ano que vem, algo que não aconteceu pelo empate sem gols com o Fluminense na última quarta-feira (4), no Maracanã.

Rogério Ceni retornou ao Fortaleza após 40 dias no comando do Cruzeiro, onde o treinador não conseguiu implementar sua metodologia de trabalho por falta de autonomia, uma vez que não conseguiu sacar do time os jogadores medalhões que rendiam abaixo da expectativa.

Em entrevita na sala de imprensa do Maracanã, após o 0 a 0 com o Fluminense, Ceni falou do seu sucesso no Fortaleza. E disse que o treinador tem sua parcela de mérito quando o clube vai bem, mas é preciso contar com o apoio dos atletas.

"Não digo que foi um arrependimento, mas foi uma grande experiência de vida, uma tomada de decisão muito difícil, mas uma grande experiência de vida. Fico feliz por ter voltado e ter entregue ao Fortaleza, ou ajudado a entregar por que na verdade quem entregou foi esse grupo de jogadores. O treinador é uma peça às vezes importante no dia a dia, mas sem a vontade de execução dentro do campo, não há treinador que resista", comentou.

 

 

Rogério Ceni deixou o Cruzeiro após um desentendimento com o grupo de jogadores ao final da partida contra o Ceará, no Castelão, na 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Dedé pediu a palavra no vestiário, após o jogo, para falar sobre alguns outros atletas, dentre esses Thiago Neves (hoje afastado pela diretoria), que estavam perdendo espaço no time. Rogério Ceni saiu do local sem falar com os atletas.

A diretoria do clube, ainda naquela oportunidade sob o comando do vice-presidente de futebol Itair Machado (também afastado de suas funções), ficou ao lado dos jogadores e o treinador ficou isolado, acabando demitido um dia depois. 

"Meu pai sempre falou, quando eu era garoto, que na vida você só acerta e erra se tomar decisões. Quem não toma decisão na vida (...) Eu, quando era goleiro, eu batia faltas. E batia pênaltis. E eu perdia e eu acertava. Mas eu tomava as decisões. Então, na vida é assim, se toma decisões, e eu não vejo como um erro (sair do Fortaleza e acertar com o Cruzeiro) porque o Cruzeiro é uma grande equipe do futebol brasileiro, passa por um momento extremamente complicado e difícil na parte administrativa, mas é um dos grandes, não deixa de ser um dos grandes do futebol brasileiro. E me contrataram para, eu entendi que era para fazer as coisas acontecerem. Eu tenho certeza que teria feito as coisas acontecerem. Mas, existem escolhas, como falamos antes”, respondeu Ceni depois do empate por 0 a 0 com o Fluminense na rodada 37ª rodada do Brasileirão.