Um dos maiores desafios de Rogério Ceni à frente do Cruzeiro é recuperar a parte física e técnica de varios jogadores do elenco celeste. 

Entre os maiores questionamentos em relação ao plantel celeste é o grande número de jogadores com mais de 30 anos atuando nas partidas, o que tornaria o time mais lento e com menos vigor físico. 

Sobre a utilização dos atletas mais experientes, Ceni mostrou tranquilidade, minimizando a idade dos jogadores e valorizando o rendimento deles em campo. 

“Acho que não existe idade para o futebol. Não se proíbe jogar dois ou três jogadores de mais de 30 anos. Só preciso da entrega. Nada que não possa ser treinado. Temos que ter intensidade".

Apesar de negar que não vai abrir mão dos jogadores mais rodados do elenco, o treinador do Cruzeiro revelou que pretende observar e dar oportunidade para os talentos que surgem na Toca da Raposa II.

"Quando cheguei ao São Paulo em 2017, o clube não tinha condições de investir em contratações, puxamos sete jogadores, renderam 180 milhões em vendas. Não tem idade, preciso de alma e coração. Para mim é o que basta, preciso conhecer mais desses jovens jogadores. Os mais jovens vou procurar o mais rapidamente possível sobre eles. Bom  jogador tem seus espaço".

Fred

O novo comandante da Raposa também comentou sobre a situação do atacante Fred, que amarga um jejum de 16 jogos sem balançar as redes. 

"Acho ele um 9 de área, boa finalização. Vamos trabalha-lo como qualquer garoto de 20 anos, espirito cada vez mais jovem. Preciso de entrega física. Sei o que o tempo passa, não é fácil se manter fisicamente. Mas vou dar oportunidade a quem tem mais condição física. Espero que ele possa nos ajudar bastante".

Com o retorno de Fred e de Thiago Neves, que cumpriram suspensão na última rodada do Brasileiro, o Cruzeiro de Ceni se prepara para o duelo com o Santos, neste domingo (18), às 16h, no Mineirão. 

Com 11 pontos, a Raposa ocupa a 17ª colocação e precisa de um triunfo sobre o Peixe para deixar a zona de rebaixamento do torneio.